02/04/2017

Uma empresa de Nova York planeja distribuir Wi-Fi grátis para o mundo todo por meio de um satélite no espaço

Uma organização sem fins lucrativos sediada em Nova Iorque, nos EUA, chamada Media Development Investment Fund (MDIF, em tradução livre “Fundo de Investimento do Desenvolvimento da Mídia) anunciou sua intenção de construir uma “Outernet” – uma rede global de satélites para transmissão de dados da internet a praticamente qualquer pessoa no planeta, gratuitamente.

A ideia é oferecer acesso gratuito à internet para todas as pessoas, independentemente da sua localização, e ignorando qualquer censura.


Com o crescimento da internet, organizações de direitos humanos ou de promoção da liberdade de expressão como a MDIF começaram a propor que o acesso à informação que ela pode oferecer é um direito humano básico.

Sendo assim, a restrição do acesso à internet é uma violação desse direito que a MDIF quer contornar, propondo que centenas de satélites sejam construídos e lançados por todo o céu, permitindo que qualquer pessoa com um telefone ou computador veja esses dados de várias centenas de estações terrestres.


A MDIF afirma que, hoje, 40% das pessoas no mundo ainda não são capazes de se conectar à internet, não só por causa de governos restritivos como o da Coreia do Norte, mas também devido ao alto custo de trazer o serviço para áreas remotas, como Sibéria, algumas partes do oeste dos Estados Unidos e ilhas remotas ou aldeias na África.

A Outernet, dizem, garantiria a todas as pessoas os mesmos direitos à informação.

Se o projeto sair como previsto, dados unidirecionais fluirão de alimentadores para satélites que transmitirão a todos abaixo. Um benefício adicional dessa rede de informação unidirecional, segundo a MDIF, seria a criação de um sistema de notificação global durante emergências e desastres naturais.

Tudo isso só vai acontecer, no entanto, quando a MDIF tiver os fundos necessários para bancar a empreitada.

Neste momento, não está claro quanto dinheiro eles já têm, mas a construção de uma rede desse tipo não sairia barato – tais satélites custam tipicamente US$ 100.000 a US$ 300.000 (R$ 230 a 700 mil) para construir e lançar. Apesar disso, o cronograma para o projeto prevê a implantação dos primeiros satélites já no próximo verão do hemisfério norte (que começa no fim de junho).

Fonte: Hypescience
Se você viu algum erro ou quer adicionar alguma informação ao nosso artigo, clique aqui

Os comentários postados a seguir, são de responsabilidade única e exclusiva de seus autores e não representam a opinião particular de nenhum integrante da Curiozone. Como uma forma de ser mais acessível a todos, nosso site usa a plataforma de comentários do facebook. Dessa forma, se você se sentiu ofendido com qualquer comentário postado, fica muito mais prático e rápido denuncia-lo ao próprio facebook clicando aqui. O sigilo é 100% garantido e sua denúncia sempre será anônima.
 
Copyright © 2017 Curiozone // Todas as imagens de filmes, séries e etc são marcas registradas de seus respectivos proprietários