Se conecte com a gente

Aconteceu

Buco, o vira-lata que foi de andarilho a “gerente de posto” e sucesso com clientes

Buco é mais uma daqueles vira-latas que conquistou várias pessoas, desta vez em um posto de gasolina em Marília, São Paulo

Publicado

no

Você sabia que tem uma presença constante no momento do abastecimento de seus carros, além dos frentistas, que os clientes de uma rede de postos combustíveis de Marília já se acostumaram? Essa presença é de ninguém mais, ninguém menos do que Pernambuco. Ele está sempre lá, atento, todos os dias, aparentemente “fiscalizando” o atendimento. Só que, na real ele está à espera de um aceno, um afago ou mesmo uma coçada na cabeça.

Na verdade, Pernambuco é para os formais. “Buco” como é chamado pelos mais íntimos, é um típico cão viralata que vive no posto e já é conhecido dos clientes e recentemente acabou assumindo um novo patamar depois que ganhou um crachá da empresa com direito a nome e foto. Agora, olha só você, os clientes fazem até fotos ao lado de Buco e o simpático cãozinho começa a aparecer também nas redes sociais.

Roberta Torres, dona do posto, é o nome da “patroa”, que diz que Buco é amado por todos: “Ele só traz alegria a todos nós”.

Roberta Torres, que é proprietária da rede de postos, explica que Pernambuco foi resgatado, tratado e adotado por funcionários logo que apareceu por lá há cerca de sete anos, quando perambulava pelas ruas próximas a uma das unidades da rede, na região do aeroporto da cidade.

Ela explica que funcionários e clientes são solidários no trato do Pernambuco, seja com cuidados veterinários ou consultas e vacinas e até mesmo doação de ração, que estão sempre em dia.

Cachorro foi acolhido por funcionários de posto de gasolina.

E olha que ele tem muitos amigos! Um bom exemplo disso é que quando Buco foi atacado por um cão de grande porte e precisou de uma cirurgia de alto custo, funcionários e clientes “fizeram fila” só para bancar o procedimento. Não é incrível?

O cãozinho tem duas casas. Ele frequenta duas das unidades da rede de postos, distantes cerca de 500 metros uma da outra, e a rotina que mantém há anos. Logo pela manhã, ele deixa o posto localizado ao lado do aeroporto, onde gosta de dormir, e segue para a outra unidade onde passa o dia.

Frentista Nei fazendo um afago no seu “gerente”.

Sempre que ele no segundo posto, o cão sobe uma escadaria e vai até o setor administrativo da rede. Do mesmo jeito que um “gerente”, ele passa de mesa em mesa e depois desce para o pátio onde ficam as bombas, que é seu local preferido. Lá, ele também costuma acompanhar o descarregamento dos caminhões de combustíveis.

“Nem precisa de cartão de ponto, ele nunca perde o horário. Ele é especial e traz alegria para todos nós aqui”, diverte-se a empresária.

Roberta explica que Pernambuco merece o crachá que ganhou porque reconhece a rede de posto da qual é “funcionário”. Isso porque ele apareceu na unidade que fica ao lado do aeroporto e foi sozinho para a outra, onde passa o dia, sem que ninguém o levasse. No caminho há um outro posto, de uma outra rede, mas lá ele nunca parou.

A ligação de Buco com os clientes é tão próxima que alguns até dão carona ao cão em seu trajeto diário. Para isso, basta o motorista abrir a porta do carro que Pernambuco já entra – ele sabe que essa é a senha para uma carona.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta