Se conecte com a gente

Ciência

O que aconteceria se todas as pessoas da Terra pulassem ao mesmo tempo?

Com a Terra não aconteceria muita coisa, já com as pessoas o caso é bem diferente.

Publicado

no

Se uma pessoa sozinha pular em um lugar, isso pode ser considerado irrelevante se comparado à força interna do planeta. E isso não seria diferente se as aproximadamente 7 bilhões de pessoas em toda Terra, com um peso aproximado de 350 bilhões de Kg. pulassem juntas.

Isso porque como as pessoas estão espalhadas de uma forma quase uniforme ao redor do globo, a soma das forças causadas por cada pulo individual seria anulada por cada pulo, resultando numa força zero aplicada sobre a superfície do planeta Terra.

E quem diz isso, é o físico Rhett Allain. Você então deve estar se perguntando agora: mas e se todos conseguissem se unir e recebessem a ordem de pular ao mesmo tempo, sincronizando todos os pulos?

Físico Rhett Allain

Bom, nesse caso então, de acordo com o físico da Universidade de Southeastern Louisiana, usando as leis de conservação de energia e supondo que a altura média do pulo de uma pessoa seria de 30 centímetros, o pulo realmente conseguiria mover a Terra, mas numa distância completamente insignificante. Em um segundo, o nosso planeta iria mover a uma distância de um centéssimo do raio de um átomo de hidrogênio. “Depois que todas as pessoas pulassem, a Terra sofreria essa minúscula alteração em sua órbita, mas devolveria o movimento, voltando ao lugar de sempre naturalmente”, explicou o cientista.

E essa situação é percebida exatamente da mesma forma que dois objetos de massas muito diferentes se movendo conectados por uma mola. Ao puxar os objetos a uma grande distância e solta, a força da mola irá puxá-los exatamente para o mesmo lugar. Os dos se movem, mesmo o objeto de massa menor se movendo muito mais do que o maior. Essa mola representa a gravidade, no caso das massas serem as pessoas e a Terra.

Apesar desse resultado insignificante, existiria algum dano real ao planeta. Claro, isso caso fosse possível organizar o encontro de cada pessoa de cada canto do planeta Terra em um mesmo ponto, promovendo pulos simultâneos. Depois dos pulos, uma quantidade muito grande de energia seria liberada quando todos tocassem o chão. Essa energia seria dividida: uma parte seria enviada para os nossos pés, enquanto outra parte se dissiparia no ar e no chão. E seria aí que algumas consequências seriam percebidas. Ao pousar depois do pulo, um som muito forte seria ouvido, com um volume de cerca de 200 decibéis (possivelmente o mais alto criado na história).

Tapando os ouvidos com as mãos

Esse ruído danificaria alguns tímpanos. Só pra você ter uma ideia, o motor de um jato produz um som de 150 decibéis na decolagem, e o limite da dor para nossos ouvidos é de sons de até 120 decibéis.

Isso sem contar que o chão tremeria e caso o salto fosse feito próximo à costa, poderia provocar um tsunami com ondas de até 30 metros de altura, além de um terremoto com magnitude variando de 4 a 8, na escala Richter, provocando danos a prédios, pontes, estradas e estruturas urbanas.

Isso claro, se conseguíssemos unir cada pessoa, de cada canto da Terra ao mesmo tempo e em um mesmo lugar. E bem, é mais fácil você ganhar na loteria do que isso acontecer.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta