Se conecte com a gente

Aconteceu

Os negócios e empresas que conseguiram vencer obstáculos e crescer durante pandemia

Muitos estão usando a internet para fazer compras, o que pode ser uma notícia boa para o comércio eletrônico; custos, no entanto, têm crescido para as empresas.

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Embora a pandemia de coronavírus tenha causado problemas para a economia global, medidas de isolamento social por outro lado, ajudaram algumas empresas a prosperar. É o caso de empresas que já trabalhavam com serviço de streaming, outras que abriram seu leque de possibilidades e investiram no comércio eletrônico, serviços de delivery e muitos outros. Nem todo mundo quebrou com a pandemia, e soube lidar com ela. É preciso porém, interpretar com cuidado, até mesmo as histórias de sucesso. Isso porque apesar de muitos estarem usando a internet para fazer compras, isso não irá necessariamente refletir no sucesso de todas as empresas de comércio eletrônico.

Empresas de e-commerce

A Amazon por exemplo, tem uma história curiosa nesse imbróglio. A empresa virou manchete em meados de abril como uma das que conseguiu vencer a crise do coronavírus, conseguindo hordas de clientes entrando em seu site, e gastando cerca de US$ 11 mil (equivalente a R$ 63 mil até o dado momento) por segundo, o que causou um aumento histórico nas ações da gigante americana pertencente ao homem mais rico do mundo, Jeff Bezos.

Você agora deve estar se perguntando, onde isso poderia ser ruim para a Amazon. Bom, na verdade isso tudo foi realmente bom, só que duas semanas depois, os contadores do grupo se viram diante de uma situação diferente, dizendo que a empresa poderá sofrer perdas pela primeira vez em cinco anos, logo que seus dados financeiros forem divulgados entre abril e junho. É esperar pra ver.

Além de tudo isso, a Amazon está enfrentando custos crescentes pra dar conta de tantos pedidos que vem sendo feitos, forçando a empresa a contratar e aumentar o quadro de colaboradores em 175 mil. Isso vai gerar um custo de US$ 4 bilhões para lidar com a disseminação da Covid-19, o que inclui dar aos colaboradores EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e realizar operações de desinfecção em seus armazéns faraônicos. Só esse gasto de 4 bi, supera os ganhos da Amazon durante o primeiro trimestre de 2019 (US$ 2,5 bilhões).

Streaming em alta

Um outro setor que tem sido campeão em vencer a crise, é o entretenimento doméstico. Esse seguiu mantendo uma tendência que já estava em crescimento há bastante tempo. Isso porque nos últimos anos, o streaming vem se tornando cada vez mais popular. Apesar do número de pessoas que foram ao cinema no mundo ter crescido 18% nos últimos dois anos, as assinaturas de serviços de streaming como a Netflix por exemplo, aumentaram 47% no mesmo período. E não é surpresa nenhuma que esse setor de entretenimento doméstico prospere quando tantas pessoas não têm escolha a não ser ficar em casa. A Netflix aunciou que ganhou quase 16 milhões de clientes novos em 22 de abril, no período entre janeiro e abril.

Comunicação online e trabalho home-office

Agora é o momento em que muitas empresas transferiram sua mão de obra para o trabalho remoto. O modo home-office agora é como muitos estão trabalhando e, por conta disso, muitas ferramentas de comunicação online ganharam popularidade.

O Skype por exemplo, cresceu cerca de 70% durante a quarentena. Com cada vez mais pessoas dentro de casa e precisando se comunicar, o serviço foi ganhando mais adeptos e agora já soma mais de 40 milhões de usuários.

Skype, aplicativo de comunicação da Microsoft

Segundo nota divulgada pela Microsoft, os minutos de chamadas entre os usuários cresceram 220% na comparação com o mês anterior. Outras empresas seguem o mesmo caminho, é o caso da Zoom, que viu seu aplicativo de webconferência se tornar o segundo programa mais baixado no mundo. O resultado disso? Crescimento de mercado para um valor de US$ 37 bilhões.

Pagamento digital

O pagamento digital também está sendo fomentado. O consumo não para, apesar da pandemia, e como muitas empresas agora passam a trabalhar com o delivery, serviços de pagamento digital acabam se tornando mais populares. Embora o PayPal tenha sido severamente afetado pela Covid-19 no início, vendo seu lucro líquido cair nos três primeiros meses de 2020 para US$ 84 milhões, suas ações atingiram seu valor mais alto em 7 de maio.

PayPal, aplicativo de pagamento digital

Analistas de mercado explicam esse fenômeno, afirmando que agora, como muitas pessoas estão enfrentando dificuldades financeiras e menos dispostas a gastar no confinamento, a mesma situação irá incentivá-las a migrar para serviços de pagamento digital, um sinal potencialmente positivo para o futuro do PayPal. O PayPal registrou 10 milhões de novas contas entre janeiro e março e processou pagamentos de até US$ 199 bilhões, representando um aumento de US$ 161,5 bilhões em relação ao mesmo período em 2019.

“Acreditamos que estamos alcançando um ponto de inflexão em todo o mundo, onde as pessoas estão vendo como é simples e fácil usar pagamentos digitais para serviços”, afirmou o CEO do PayPal, Dan Schulman, a investidores em uma teleconferência em 6 de maio.

“Pesquisas mostram que agora as pessoas estão mais inclinadas a comprar online do que a voltar à loja”, acrescentou.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta