Se conecte com a gente

Astronomia

Cientistas sugerem existência de 36 civilizações inteligentes na Via Láctea

Pode ser que tenhamos vizinhos, de acordo com estudo

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Um dos questionamentos mais intrigantes e curiosos que você já deve ter feito, é se existem outras civilizações como a nossa na galáxia. Isso porque a Via Láctea é muito grande pra acreditarmos tão cegamente que só nós existimos aqui. Recentemente, pesquisadores do Reino Unido, publicaram uma nova pesquisa que promete desvendar esse mistério.

Publicada no início da semana, no Astrophysical Journal, a pesquisa da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, sugere que mais de 30 civilizações com vida inteligente podem existir na Via Láctea.

É um enorme avanço com relação a outras estimativas que estabelecem números de zero a bilhões, de acordo com os pesquisadores. Para que fosse possível chegar a esse número, os cientistas tiveram que admitir que formas inteligentes de vida em outros planetas são bem iguais as da Terra.

“Deveria haver pelo menos algumas dezenas de civilizações ativas em nossa galáxia, sob a suposição de que são necessários 5 bilhões de anos para que a vida inteligente se forme em outros planetas, como na Terra”, afirmou Christopher Conselice, que liderou o estudo, em comunicado.

Outros aspectos astronômicos também foram considerados como a posição do planeta dessas sociedades em relação a estrelas próximas, onde a vida seria possível de um jeito bem igual a da Terra. Foi com base nesses dados que os pesquisadores chegaram a conclusão de que deve existir aproximadamente 36 civilizações inteligentes na galáxia.

A distância entre nós e esses vizinhos no entanto, seria de, em média, 17 mil anos-luz, o que dificultaria muito a detecção e a comunicação com a nossa tecnologia de hoje. Isso sem contar que é bem capaz que nós sejamos a única civilização dentro da Via Láctea que ainda não se extinguiu, por exemplo.

“Nossa pesquisa sugere que a busca por civilizações extraterrestres inteligentes não apenas revela a existência de como a vida se forma, mas também nos dá pistas de quanto tempo nossa própria civilização durará”, afirmou Conselice. “Se descobrirmos que a vida inteligente é comum, isso revelaria que nossa civilização poderia existir por muito mais do que algumas centenas de anos; por outro lado, se identificamos que não existem civilizações ativas em nossa galáxia, é um mau sinal para nós a longo prazo.”

Publicidade
1 Comentário

1 Comentário

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta