Se conecte com a gente

Buffoniando

É NO SAMBA QUE A HISTÓRIA SE ENCONTRA!

Publicado

no

Fala, família do Curiozone! Gostaria de agradecer ao grande mestre, Leandro Buffon, pelo espaço cedido para falar de uma grande paixão, o samba de enredo. ALÔ BATERIA, vamos de samba, porque o tempo urge e a Sapucaí é grande.

Passadas algumas semanas do carnaval, imagino que todos estejam com tanta saudade quanto eu, escolhi alguns dos meus sambas de enredo preferidos para darmos um ROLÉ pela história do Brasil. Isso mesmo, família, nesse momento a História se tornará uma grande passarela pelo qual vão desfilar os mais belos sambas que contaram a nossa história.

Em 1987, a gigante Mocidade Independente de Padre Miguel (aquela da paradinha do mestre André), levou para a avenida um samba enredo intitulado TUPINICÓPOLIS[1], e nos fez sonhar com um Brasil utópico, muito diferente daquele invadido pelos portugueses em 1500. O verso “E a Oca virou Taba, a Taba virou Metrópole, eis aqui a grande Tupinicópolis/ Boate saci, shopping boitatá (…)” nos chama atenção para como seria o nosso país se tivéssemos uma maior influência da cultura indígena na nossa sociedade, se ela não tivesse ao longo de séculos sofrido tentativas de ser apagada, silenciada, catequizada. Em sintonia com a Mocidade, a Unidos da Tijuca, em 1999, cantou sobre a visão de mundo, a lenda, o mito dos Donos da Terra[2]. O início do samba anuncia o tema do enredo “Hoje a Tijuca canta, Sacode e balança esta cidade, Viaja no conto do índio, O dono da terra, que felicidade”. E segue falando sobre Uirapuru, Iará, Rudá, mulheres metades serpentes, curumins, por acaso você já ouviu falar sobre algum deles? Possivelmente não. E aqui queria te chamar atenção para o importante papel das escolas de samba em cantar Histórias do Brasil que não faziam parte de livros e manuais escolares no século XX. A história do negro, do índio, das mulheres, da cultura popular, muitas vezes esquecidas e propositalmente ausentes desses manuais foi cantada por grandes Escolas, numa época em que elas tinham ainda mais prestígio do que tem nos dias atuais.

“Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós e que a voz da igualdade seja sempre a nossa voz”[3], ao ler esse verso certamente você já abriu os braços e começou a batucar freneticamente. O samba da Imperatriz Leopoldinense, de 1989, é um sambaço. Mas traz junto dele uma interpretação histórica muito discutida atualmente, o verso “a Isabel, a heroína que assinou a lei divina” gera debates por exaltar o papel da princesa e por consequência do império em detrimento dos protagonistas da luta pela liberdade como André Rebouças, Joaquim Nabuco, Luiz Gama e, claro, os próprios escravizados que resistiram desde o momento que perderam sua liberdade ainda na África. O curioso é que a própria Imperatriz, em 1988, trouxe para a avenida o samba: “Conta outra que essa foi boa”[4], na obra o papel da princesa é completamente ironizado “Cabral, o seu Cabral, o esquema é de lograr, de 71 com a realeza, me mandou uma princesa que fingiu me libertar”. Além de trazer à tona histórias não contadas, os sambas de enredo ainda nos permitem perceber as disputas que ocorrem em torno do nosso passado.

Para não estourarmos nosso tempo de desfile, queria deixar o belíssimo samba, da Renascer de Jacarepaguá, de 2017, “O papel e o mar”[5] que conta a história de duas grandes personalidades de nossa história, João Cândido e Carolina de Jesus. “João, Negro feiticeiro, O timoneiro conquistador, Carolina é alforria, Poesia da alma que se libertou, Na luta contra a tirania”. Você sabe quem foram eles? Fica o convite para buscar a história deles, e escutar e até mesmo assistir ao desfile da Renascer.

Salve o samba enredo e seu precioso papel na luta pela divulgação da cultura popular e de um Brasil mais plural! Ao professor Leandro Buffon e ao Curiozone, meus agradecimentos. E a você que me prestigiou com a sua leitura, muito obrigado. Se quiser conhecer um pouco mais sobre o meu trabalho é só me seguir no instagram @viugdehistória. Um abraço, família!

 

 

 

 

[1] https://www.youtube.com/watch?v=qQ6Ni8hvQTc

[2] https://www.youtube.com/watch?v=H1vJ0J5yYKU

[3] https://www.youtube.com/watch?v=ekln07krQtI

[4] https://www.youtube.com/watch?v=-krX_8vEoLM

[5] https://www.youtube.com/watch?v=upJJi6CE_IE

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta