Se conecte com a gente

Ciência

Mau humor pode abalar saúde e até tratamentos, de acordo com estudo

A ciência já provou que ficar de cara fechada sempre não é uma coisa muito boa para a saúde.

Publicado

no

Sua saúde pode estar sendo prejudicada com seu pessimismo e mau humor. Evidências científicas é que apontam isso. Dominadas pelas emoções negativas, pessoas têm mais risco de desenvolver uma série de doenças e ter até um piripaque potencialmente fatal.

No estudo publicado em 2014 no periódico da Associação Americana de Cardiologia (AHA) chamado Stroke, pesquisadores avaliaram os níveis de estresse, sintomas depressivos, raiva e hostilidade de mais de 6 milpessoas entre os 45 e 84 anos, e acompanharam a saúde do grupo pelos anos seguintes. Sabe o que foi que eles notaram? Que o índice de derrames e ataques isquêmicos transitórios (o famigerado entupimento temporário de um vaso snguíneo do cérebro precursor do AVC), era significativamente maior em pessoas mais tristes, estressadas e hostis.

Mesmo os mecanismos por trás dessa relação não sendo totalmente claros, é fato que pessimistas costumam sempre ficar tensos. E esse é um fator interessante a se observar, uma vez que isso favorece o aparecimento de distúrbios como o diabetes e ahipertensão arterial.

Estresse aumenta nível de cortisol no corpo

Paulo Camiz, geriatra e clínico geral do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) explica que: “O estresse crônico aumenta o nível de cortisol em circulação, hormônio que financia inflamações e, a longo prazo, afeta até a imunidade”.

Isso deixando de lado a perspectiva sempre negativa, de que a autoestima pode ser abalada e, então, nós tendemos a cuidar menos de nós e, por consequência, da saúde.

Um mau humorado no meio das pessoas.

 

Ninguém vai falar aqui para que você seja feliz, fique alegre e sorridente todas horas de todos os dias, até porque, a gente sabe: isso é praticamente impossível. O problema, é que quando os pensamentos negativos como hostilidade, agressividade, cinismo e outros passam a dominar a mente.

De acordo com Paulo Camiz, o geriatra: “Se eles prevalecem, podem levar a uma depressão no futuro”. E ela, como todos nós sabemos, é outro fator de risco importante para doenças cardiovasculares.

O lado bom do mau humor

Para os emburrados de plantão, vale deixar bem claro antes de tudo que nem todo mau humor é ruim. Ao contrário, aliás. “Existem pessoas que são mal-humoradas naturalmente e, no geral, todo pensamento inclui também um lado negativo”, explica Luiz Scocca, psiquiatra membro da AAP (Associação Americana de Psiquiatria).

Segundo o psiquiatra, ele pode ainda nos deixar mais focados, concentrados. Fora que não tem absolutamente nada de errado em sentir-se mal, triste, irritado, frustrado ou pessimista. “Há uma ilusão de que devemos estar contentes o tempo todo, satisfeitos, mas isso é impraticável, um conceito do qual devemos nos livrar”, aponta o médico.

Rir é o melhor remédio

Por outro lado, o que não faltam são evidências a favor do pensamento positivo. E essa relação já é conhecida há muitos anos, por acreditar. Em 2009, a mesma Associação Americana de Cardiologia publicou um estudo enorme, que, feito com quase 100 mil mulheres, disse que as otimistas tinham menos incidência de doenças cardiovasculares, onde eram 43 casos a cada 10 mil mulheres, contra 60 no grupo das mais pessimistas.

Carlos Alberto de Nóbrega dando gargalhada na Praça

É fato que não estão bem estabelecidas as justificativas para esse elo, só que não existem dúvidas de que, sim, otimistas vivem mais e melhor. “Uma pessoa otimista não se deixa abater e o corpo dela acaba de se estruturando de acordo com isso”, diz Camiz. E o efeito está muito relacionado à resiliência, que basicamente, é a nossa capacidade de se recuperar das adversidades da vida.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta