Se conecte com a gente

Aconteceu

Influencer do TikTok cria o termo “super hétero” e é acusado de transfobia na internet; entenda

“Eu só namoro o sexo oposto, mulher, que nasceu mulher. Então você não pode dizer que sou transfóbico agora porque isso é apenas minha sexualidade.”

Publicado

no

Na última segunda (08) de março, no Dia Internacional da Mulher, viralizou na internet um novo termo que acabou gerando polêmica nas redes sociais entre jovens. Trata-se do “super-hetero”. Ao gravar um vídeo alegando ter criado uma nova sexualidade, o influencer que se identifica como Kyle, acabou tendo seu vídeo viralizado na internet e sendo acusado de transfóbico.

Influenciador do TikTok Kyle Royce foi acusado de transfobia.

“Ei, gente, eu fiz uma nova sexualidade agora, na verdade, é chamada de superhétero. Já que alguns heterossexuais como eu são chamados de transfóbicos porque não namoraria uma mulher trans.”, diz o influenciador.

“Agora, sou super heterossexual”, acrescentou.

“Eu só namoro o sexo oposto, mulher, que nasceu mulher. Então você não pode dizer que sou transfóbico agora porque isso é apenas minha sexualidade.” Completou Kyle.

A reportagem da Curiozone apurou que o vídeo, bem como Kyle acabaram sendo excluídos da plataforma TikTok. O conteúdo, porém, continua disponível na internet.

O caso que veio da gringa, acabou alcançando a internet no Brasil. O filósofo Alexandre Porto fez um comentário sobre a polêmica incendiando ainda mais o debate. Para ele, isso é inútil: “O problema disso de “super-hetero” é que faz parecer que o hetero normal pega homem de peruca e batom. Hetero normal = pega mulher xx, fim. Pega outra coisa? Nao é hetero.”

Polêmica de gênero não é nova

Em setembro de 2020, a autora de Harry Potter, J.K. Rowling, lançou um livro sob o pseudônimo de Robert Galbraith. Em uma publicação no Twitter, a escritora fez propaganda de uma loja abertamente transfóbica.

J.K. Rowling, autora de Harry Potter.

A autora também acabou postando no Twitter um artigo que no título se referia a “pessoas que menstruam”. Irônica, ela devolveu: “Pessoas que menstruam. Tenho certeza que existia um nome para essas pessoas”, escreveu na rede social antes de tentar “lembrar” a palavra “mulher”.

Embora tenha sofrido com ataques a acusando de transfóbica por comentários feitos nas redes sociais, J.K. Rowling observou as vendas de seu livro dispararem e ele ser líder de vendas na Inglaterra.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta