Se conecte com a gente

Tecnologia

Yahoo! Respostas será deletado da internet para sempre em maio de 2021

Site, que está no ar desde 2005, é um dos mais antigos neste formato e marcou a história da internet.

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

A última segunda-feira (05) foi um dia de surpresa para a internet. Isso porque um dos mais populares serviços do Yahoo! está chegando ao fim. Se trata da plataforma que trazia perguntas sobre absolutamente qualquer coisa: Yahoo! Respostas.

De acordo com informações do portal The Verge, o Yahoo! anunciou que o serviço deixará de existir a partir do dia 04 de maio de 2021.

O site, que está no ar desde 2005, e portanto é um dos mais antigos neste formato e marcou a história da internet, não estará mais disponível a partir do dia 20 de abril. Desta data em diante, a plataforma não receberá mais novas perguntas feitas pelos usuários, que poderão solicitar seus dados até junho de 2021.

Conforme anunciado pela empresa, no calendário de desligamento do Yahoo! Respostas está estabelecido que os usuários terão até o dia 30 de junho de 2021 para que seja solicitado todos os dados que incluem todo o conteúdo gerado na plataforma (o que envolve listas de perguntas e respostas, bem como quaisquer imagens).

As perguntas e respostas de outros usuários, no entanto, não estarão disponíveis para serem baixadas. A partir desta data, todas as informações estarão inacessíveis. O Yahoo! revela ainda, que após feita a solicitação de dados, a empresa pode levar até trinta dias para disponibilizá-los.

Decisão vem em momento de combate intenso à desinformação

Embora tenha usado a baixa popularidade como motivo principal para o desligamento, o fim do Yahoo! Respostas, na verdade, acontece em uma época de constantes esforços para o combate à desinformação, o que já levou CEOs de Big Techs a prestarem esclarecimentos sobre seus esforços para conter publicações falsas ou enganosas em suas plataformas.

Nos últimos anos, a plataforma recebeu diversas perguntas e respostas com conteúdo extremista ou que favorecem a circulação de fake news.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta