Se conecte com a gente

Aconteceu

Em 2011, RedeTV! venceu licitação e quase chegou a transmitir o Brasileirão

A emissora chegou até anunciar ter oferecido a maior quantia pelo futebol brasileiro: R$ 1,54 bilhão.

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Ela tem apenas 22 anos, é a mais nova dentre as grandes emissoras do país e já teve a esperança de poder transmitir o campeonato de futebol mais assistido do país. Sim, há 10 anos a RedeTV! quase transmitiu o Brasileirão. A emissora venceu a licitação do certame de 2012 a 2014, mas viu seu sonho de alavancar a audiência ruir depois que o Clube dos 13, que cuidava dos direitos de transmissão dos clubes foi implodido.

O responsável pela destruição do sonho da RedeTV! em 2011 tem nome e sobrenome: Andrés Sanchez, o então presidente do Corinthians.

Andrés Navarro Sanchez é um empresário, dirigente de futebol e político brasileiro.

“Não precisamos do Clube dos 13 para negociar com as emissoras”, afirmou o cartola, que viu seu discurso ser abraçado por outro clube grande: o Flamengo. Pegando carona nessa, também seguiram Fluminense, Vasco e Botafogo. Todos eles decidiram que iriam acertar seus contratos de transmissão diretamente com as emissoras, sem a intermediação de ninguém.

Esses clubes alegavam que sem o Clube dos 13, poderiam obter contratos bem mais rentáveis.

Clube dos 13, oficialmente União dos Grandes Clubes do Futebol Brasileiro, foi uma organização brasileira formada em 11 de julho de 1987 para defender os interesses políticos e comerciais de 13 clubes de futebol do Brasil.

Em março de 2011, Fábio Koff (1931-2018) dava a grande notícia: a RedeTV! vencia a licitação pelo Campeonato Brasileiro 2012-2014 pela extraordinária quantia de R$ 1,54 bilhão parcelados em R$ 516 milhões anuais, sendo R$ 300 milhões de entrada.

Na época, o telejornal RedeTV! News, inclusive, chegou a noticiar a aquisição da emissora.

A emissora de Amílcare Dallevo Jr. e Marcelo de Carvalho foi a única que participou do processo licitatório. Àquela altura, a Record, assim como a Globo também tinha planos de ir negociar diretamente com os clubes os direitos de transmissão separadamente.

O resultado todo mundo já sabe, falaram pra RedeTV…

O processo de dissolução do Clube dos 13 vinha sendo ensaiado desde 2010. Tudo porque Kléber Leite, que já havia presidido o Flamengo, era o candidato de Sanchez para estar à frente do Clube dos 13, o que não aconteceu. Ele perdeu para Fábio Koff.

A partir daquele ano, os direitos de transmissão seriam negociados de forma separadas por plataformas: TV aberta, fechada, pay-per-view e internet.

Depois do Corinthians, o primeiro a deixar o Clube dos 13, saíram os já mencionados Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense; depois, Coritiba, Cruzeiro, Santos, Sport e Bahia, até que os próprios apoiadores de Koff sucumbiram, como o Atlético-MG, Athletico Paranaense, São Paulo e Palmeiras.

A postura da Globo em sair correndo do processo licitatório para procurar os clubes individualmente soou como antidemocrática, pois burlava a livre concorrência. Ao passo que a demora da Record em fazer o mesmo (sua proposta era de R$ 912 milhões) foi determinante para que ela perdesse essa batalha de lavada. O Atlético-MG foi o último clube a assinar com a Globo.

De lá pra cá, o modelo de negociação se manteve, e mais recentemente, com a concorrência do Grupo Turner na TV fechada, para os canais Esporte Interativo, que acabaram.

O atual contrato do Brasileirão é válido até 2023.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta