Se conecte com a gente

Aconteceu

Polícia Civil identifica vítimas e indicia streamer RaulZito por estupro de vulnerável

A investigação policial comprovou que RaulZito fazia contato com os responsáveis das crianças, e após ganhar a confiança deles, praticava os crimes em seu estúdio.

Publicado

no

A Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima indiciou o streamer e influenciador digital conhecido Raulzito por estupro de vulnerável contra duas vítimas no Rio de Janeiro e pediu a prisão preventiva dele. As informações são do jornal O Globo.

Raulino de Oliveira Maciel está preso temporariamente desde o fim do mês passado, quando foi localizado em Santa Catarina. Na época, segundo os investigadores, ele optou por ficar em silêncio. Raulzito atua fazendo transmissões on-line sobre jogos. O público dele é formado, na maioria, por crianças e adolescentes.

A investigação conseguiu comprovar o perfil do Gamer, que fazia contato pelas redes sociais com os responsáveis das crianças, e após ganhar a confiança dos pais, praticava os crimes em seu estúdio, em São Paulo, ou até nas casas dos menores. Ele prometia aos responsáveis que os filhos entrariam para o mundo artístico e dos gamers.

Streamer de Fortnite RaulZito.

Após a prisão, além das vítimas no Rio de Janeiro, foram identificadas outras três no estado da Paraíba – com investigação em curso, três em São Paulo e uma em Santa Catarina. Algumas sequer retornaram aos contatos dos policiais por vários motivos, até mesmo pelo sentimento de “culpa”, medo do poder econômico do acusado, e vergonha.

Os perfis das vítimas, segundo a Polícia Civil, vêm confirmando que Raulino já agia há tempos, e contava com o silêncio dos menores, tendo cometido os crimes na clandestinidade e sem o conhecimento dos seus responsáveis legais. A primeira parte da investigação foi possível após duas mães descobrirem os abusos e procurarem a DCAV.

Uma matéria da Curiozone feita no último mês, falou a respeito do silêncio de influenciadores que, apesar de falarem de games e ainda assim desviarem o foco para comentar qualquer assunto, não comentaram sobre o caso de RaulZito.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta