Se conecte com a gente

Aconteceu

Streamers brasileiros criam “sindicato” para contestar repasse de valores da Twitch

Streamers da plataforma estão insatisfeitos com os novos valores repassados depois da redução do preço de assinatura.

Publicado

no

Insatisfeitos com as mudanças impostas pela Twitch recentemente, streamers brasileiros agora estão se reunindo com o objetivo de contestar a plataforma. Recentemente, os preços para quem deseja se tornar assinante de canais, acabaram sendo reduzidos de R$ 22,99 para R$ 7,90. O problema, é que isso também acabou afetando diretamente os ganhos de quem transmite na plataforma.

Embora a iniciativa tenha sido formulada por diversas pessoas da comunidade, ela foi divulgada por Matheus “Picoca” Tavares, streamer e também jogador profissional de League of Legends. Em seu Twitter, Picoca convoca que streamers preencham um formulário para o “sindicato de streamers”.

Plataforma de livestreams, Twitch.

O nome, esclarece o streamer, é uma brincadeira, porém o sentido é o mesmo. Se trata de uma união de pessoas que utilizam a mesma ferramenta de trabalho, que buscam formas mais justas de serem remunerados por seus serviços – neste caso, a transmissão de conteúdo via Twitch.

“Não tem data nem hora marca ainda, estamos reunindo o máximo de streamer possível para discutir o futuro da plataforma”, escreve Picoca em seu Tweet.

A ideia é que, com muita gente reunida, as insatisfações possam ser levadas à Twitch para discussão e saber melhor como isso afetará a todos no futuro.

Também foi aberto um servidor no Discord para reunir as pessoas e ter a troca de ideias e informações, com entrada permitida apenas por quem for aprovado, após preenchimento do formulário.

Em tese, com o novo preço de R$ 7,90, reduz drasticamente o percentual que fica com o dono do canal que recebe a assinatura. De acordo com a revista digital Stiles Gaming, cada assinante (sub) pago neste valor mais básico rende apenas US$ 0,48 para o streamer. Se o sub for dado de gift por outro usuário o dono do canal fica com US$ 0,45. São valores quase irrisórios, mesmo com a cotação do dólar em alta.

Picoca, o streamer/youtuber que tem o seu principal jogo o League of Legends.

Em tese, a melhor alternativa, no momento, é incentivar que seus espectadores doem bits e não assinem, ainda que percam uma série de benefícios com isso. A Stiles Gaming informa que 100 Bits equivalem a R$ 6,50, enquanto US$ 1 fica com o dono do canal – o espectador gasta menos e ajuda mais.

Os valores correspondem assinaturas e gastos usando o computador, via celular pode ser um pouco mais caro. Sobre o futuro da plataforma resta aguardar por novidades da união de streamers criada pela comunidade e ver como a Twitch deve reagir a isso no país. A Twitch, porém, já chegou a prometer mais auxílio aos gamers, mas, por enquanto, não se sabe como vai passar a valer para o Brasil.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta