Se conecte com a gente

Aconteceu

Quebrando o Tabu gera revolta após defender “pontos positivos” da ditadura de Mao Tsé-Tung

Após a repercussão negativa, perfil deletou as postagens e pediu desculpas.

Publicado

no

Uma publicação da página ‘Quebrando o Tabu’ sobre a China deu o que falar na internet. É que uma narrativa onde a República não é a mocinha e nem a vilã de uma história acabou gerando revolta em diversos internautas, que repercutiram um ponto em questão onde o perfil de esquerda fala sobre o ditador comunista Mao Tsé-Tung.

“Em 1949, Mao Tsé-Tung, fundador e líder da República Popular da China, implantou o regime Comunista. Essa era foi cheia de altos e baixos. De pontos positivos podemos citar: Moradia para todos, Desemprego zero, Estabilidade política, Educação e saúde bem melhores que no passado. Mas também uma tragédia absurda: De 50 a 80 milhões de mortos (de fome ou perseguição política)”, dizia o post.

Vale ressaltar que, ao lado de Hitler, Mussolini e Stalin, Mao foi um dos maiores assassinos da história. Por conta disso, internautas passaram a criticar o perfil, por romantizar o ditador comunista. Veja a repercussão:

Diante da repercussão, o perfil deletou as postagens e pediu desculpas:

Em março de 2020, o professor de história e colunista da Curiozone Leandro Buffon, publicou em sua coluna Buffoniando, um texto onde explana melhor os tristes episódios e mais detalhes sobre a ditadura do comunista Mao Tsé-Tung, que dizimou milhões de chineses.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta