Se conecte com a gente

Tecnologia

Hacker, de pijama em casa, derruba internet da Coreia do Norte inteira por vingança

Em entrevista ao Wired, homem disse ter sido vítima de espiões norte-coreanos, o que motivou sua vingança.

Publicado

no

Imagina ser capaz de derrubar, usando pijama em casa, a internet de um país inteiro. Foi exatamente isso que um hacker independente norte-americano conseguiu fazer. De acordo com informações do portal UOL, que repercutiu o acontecimento, o homem derrubou o acesso a diversos serviços de internet na Coreia do Norte.

Hacker, de pijama em casa, derruba internet da Coreia do Norte inteira por vingança.

Em entrevista ao Wired, ele afirmou ter sido vítima de espiões norte-coreanos há pouco mais de um ano, o que motivou sua vingança.

Segundo o homem, no momento em que começou a executar o ataque contra o país, ele estava no quarto vestindo uma camiseta, calça de pijama e chinelos, enquanto assistia ao filme “Alien” e comia salgadinhos.

“Parecia a coisa certa a fazer aqui. Se eles não virem que temos dentes, vai continuar vindo”, disse o homem, conhecido como P4x, em entrevista ao site. “É bem interessante como foi fácil realmente ter algum efeito lá”, completou.

Informações publicadas no site NK News, que acompanha notícias da Coreia do Norte, indicam que alguns ataques cibernéticos contra servidores norte-coreanos causaram problemas de conectividade na última semana. E isso após lançamentos testes de uma série de misseis.

Kim Jong-un, o ditador da Coreia do Norte.

A reportagem da Wired conta que as consequências dos ataques não ficaram claras. Contudo, os sites de reservas da companhia aérea Air Koryo e uma página que serve como portal oficial para o ditador Kim Jong-un apresentaram problemas de acesso.

O motivo da vingança

De acordo com a reportagem, P4x conseguiu descobrir que havia sido atingido por espiões norte-coreanos no final de janeiro de 2021. Isso aconteceu quando ele abriu um arquivo enviado por um colega — também hacker— descrito como uma ferramenta de exploração de sistema.

No mesmo dia, ele viu uma postagem no blog do Google alertando que cibercriminosos da Coreia do Norte estavam atacando pesquisadores da área de segurança digital.

Coreia do Norte: hackers quase roubaram US$ 1 bilhão de banco.

Quando foi analisar a ferramenta que havia recebido, percebeu que ela tinha um backdoor (porta de acesso ao sistema), que fornecia um ponto de apoio para acesso de seu computador.

Ele abriu uma máquina virtual e colocou o dispositivo digitalmente em quarentena para aumentar sua segurança.

Segundo P4x, ele chegou a relatar que havia sido alvo de um ataque da Coreia do Norte ao governo dos Estados Unidos e também ao FBI, mas as instituições norte-americanas não tomaram nenhuma providência.

Como foi a resposta dele

P4x afirma ter explorado uma série de vulnerabilidades por meio de ataques DDoS (Distributed Denial of Service), também conhecidos como “ataque de negação de serviço” que usa como estratégia sobrecarregar um servidor ou computador para que os recursos do sistema fiquem indisponíveis.

Com esse tipo ação é possível invadir um computador mestre de uma rede e escravizar várias máquinas. Ao fazer isso, o servidor acaba sobrecarregado, o deixando impossibilitado de realizar mais serviços.

Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

De acordo com a reportagem, P4x afirmou que seu ataque até simples porque grande parte do software utilizado pelo governo norte-coreano está desatualizado. Contudo, o hacker não quis revelar quais são essas vulnerabilidades publicamente.

Questionado sobre o ataque configurar um crime nos Estados Unidos, ele afirmou que sua “consciência está limpa” devido aos “abusos dos direitos humanos e controle total sobre sua população”, referindo-se ao governo norte-coreano.

Publicidade
Publicidade

Em Alta