Se conecte com a gente

Aconteceu

Band apura internamente vazamento com trecho obsceno de entrevista com morador de rua

Emissora divulgou nota de esclarecimento informando não ter levado ao ar o conteúdo.

Publicado

no

Um funcionário da Band a esse momento com certeza está congelado de medo, e se preparando para se apresentar no RH da empresa. Isso porque um vídeo com o conteúdo integral da entrevista feita com o morador de rua Givaldo Alves, de 48 anos, espancado por um personal trainer vazou nas redes sociais, acabou viralizando e repercutiu muito mal para a emissora.

No vídeo, Givaldo, ao se defender de acusações, conta com todos os detalhes como se relacionou com a mulher do personal. O compartilhamento do vídeo foi feito na noite dessa quinta-feira (24). Com a repercussão negativa nas redes sociais, a emissora emitiu uma nota de esclarecimento dizendo que abriu um processo de investigação interna para apurar quem foi o responsável e puni-lo devidamente. A emissora esclareceu ainda que o trecho do vídeo não foi ao ar.

O registro mostra Givaldo narrando de forma explícita o sexo com a cônjuge do educador físico. Entre as falas, o morador de rua disse que trocou carícias com a mulher e que já é “bem velho para não saber brincar”.

A alta exposição no vídeo criou uma discussão sobre os limites da cobertura do caso.

Entenda o caso

Em 9 de março, o personal trainer Eduardo Alves, de 31 anos, agrediu Givaldo após flagrá-lo durante ato sexual com sua mulher em Planaltina, no Distrito Federal, e foram registradas por câmeras de monitoramento da rua.

De acordo com a 16º Delegacia de Polícia de Planaltina, a companheira de Eduardo saiu de casa com o intuito de ajudar o sem-teto. O educador físico começou a se preocupar com a ausência de sua parceira e foi a procura dela.

Ao encontrar o carro da mulher, o personal se aproximou, viu os dois sem roupa e partiu para a agressão. A Polícia Civil já colheu alguns depoimentos sobre o caso. Enquanto o personal acredita que Givaldo tenha cometido um estupro, sua mulher afirma que a relação foi consensual. Eduardo também alegou que sua parceira estava em um surto psicótico e, assim, sem condições de consentir com o ato.

Trecho obsceno da entrevista com Givaldo Alves vazou e acabou viralizando nas redes sociais.

“Ele procurou pela mulher e ao avistar o carro estacionado, imediatamente se aproximou, momento em que viu a mulher com um homem, tendo relações [sexuais]. Nesse momento entrou em luta corporal com o acusado, pois, acreditava que ela estava sendo estuprada”, disse a Polícia ao site Metrópoles.

A versão de Givaldo

Em uma entrevista divulgada nessa quinta-feira pelo Metrópoles, Givaldo afirmou que havia sido convidado para entrar no carro com a mulher. “Eu andava pela rua e ouvi um grito: ‘Moço, moço’. Olhei para trás e só tinha eu. E ela confirmou que era comigo dizendo: ‘Quer namorar comigo?'”

Mesmo após negar, Givaldo não resistiu à insistência do convite. “Moça, eu não tenho dinheiro, sou morador de rua. Não tenho dinheiro nem para te levar ao hotel. Então, ela disse: ‘Pode ser no meu carro.'”

Givaldo rebateu as acusações de Eduardo e alegou que as câmeras de segurança da rua confirmam sua versão da história. Após reagir, o baiano só teve conhecimento de que a mulher era casada quando chegou ao hospital. Por conta da briga, ele sofreu um edema no olho e teve uma costela quebrada. Ainda assim, diz não se arrepender da situação.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta