Se conecte com a gente

Aconteceu

Bomba termobárica: saiba o que é a arma que Rússia pode ter usado na Ucrânia

Essa também é poderosa, e o estrago não é pequeno.

Publicado

no

Os Estados Unidos e a Ucrânia, acusam a Rússia de ter detonado uma bomba termobárica nos conflitos que acontecem com seu país vizinho. Em meio as notícias do acontecimento, muitos se perguntam o que de fato é isso exatamente.

Também chamada de “bomba a vácuo”, esse tipo de arma é considerada a mais poderosa do arsenal militar da Rússia depois das bombas atômicas, que todo mundo espera não ser usada nunca mais.

Bomba termobárica: saiba o que é a arma que Rússia pode ter usado na Ucrânia.

De acordo com informações da BBC, Oksana Markarova, embaixadora ucraniana nos EUA, acusou a Rússia de ter usado a bomba de vácuo. A declaração da embaixadora foi dada depois de uma reunião com membros do Congresso americano.

“A devastação que a Rússia está tentando infligir à Ucrânia é grande”, acrescentou Markarova.

Não é t reconão difícil reconhecer uma bomba a vácuo, devido suas características simples e notáveis. Isso porque a explosão dela se dá em duas etapas, responsáveis pelo tamanho estrago que ela causa.

A primeira explosão espalha uma nuvem de combustível no entorno da bomba, que pode entrar até mesmo em prédios e residências.

Explosão de grandes dimensões.

Em seguida, esse combustível que foi espalhado como um spray, é aceso, causando uma explosão de altíssima temperatura que consome tudo dentro da área de abrangência do combustível.

Além disso, de acordo com informações do jornal britânico The Guardian, a enorme variação de temperatura faz a explosão sugar o oxigênio do ar ao redor, causando uma segunda onda sônica, que também é fortemente destrutiva.

Lançadores russos compatíveis com esse tipo de arma estão presentes na Ucrânia, o que fortalece a acusação contra as forças armadas comandadas por Vladimir Putin.

O tamanho do estrago

O problema com a bomba termobárica é justamente o estrago que ela pode causar em ambientes urbanos, ou que contenham túneis e abrigos pouco ventilados.

Quem for pego pela explosão inicial, de combustível, já teria que enfrentar temperaturas extremamente altas e que podem incinerar um corpo humano com muita facilidade.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Além disso, há também a onda de choque formada pelo vácuo de oxigênio, e essa é particularmente perigosa nos ambientes fechados.

A onda causa danos a estruturas de prédios e pode danificar também os órgãos internos de uma pessoa. Pulmões são rompidos dentro da caixa torácica, e a pessoa pode morrer sem sofrer um arranhão externo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta