Se conecte com a gente

Aconteceu

Empresa alemã combate o ‘falocentrismo aeroespacial’ criando o foguete vulva

A startup WBF Aeronautics quer desafiar a predominância do formato fálico de foguetes.

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Ninguém imagina que o formato fálico de foguetes espaciais tenha sido propositalmente pensado por cientistas e engenheiros, para louvar o órgão genital masculino ao criarem as aeronaves. O mais correto a se pensar, é que parâmetros físicos foram levados em conta para isso. No entanto, de Jeff Bezos a Elon Musk, todo mundo já reparou e até fez alguma piada sobre como o formato fálico dos foguetes espaciais diz muito sobre a mentalidade dos bilionários.

Se você acha que esse tipo de tema não deveria ser levado tão a sério, saiba que a startup alemã WBF Aeronautics levou, e acabou apresentando um design mais feminista de nave espacial, querendo desafiar o ‘falocentrismo aeroespacial’.

O “Vulva Spaceship” faz jus ao nome, tem a forma da vulva, que é a parte mais externa da região íntima das mulheres. O projeto da nave veio a partir de uma colaboração da Dra. Lucia Hartmann, líder da WBF; e o coletivo feminista alemão Wer Braucht Feminismus? (no português, “Quem Precisa do Feminismo?”).

Os criadores afirmam que o design feminista da “Vulva Spaceship” é “surpreendentemente aerodinâmico” e enfrentaria menos resistência durante uma eventual navegação pela atmosfera.

Empresa alemã combate o falocentrismo aeroespacial criando o foguete vulva.

O corpo da aeronave feito em fibra de carbono o tornaria, ao mesmo tempo, resistente a extremos de temperatura e eficiente na conservação de combustível, por ser feita de uma liga mais leve que o aço.

“O espaço é para todos. Com a nossa missão, queremos provar para o mundo que a igualdade de gênero também tem um lugar de discussão mesmo no espaço. Nós não estamos somente inspirando a viagem pelo espaço, mas também estamos reescrevendo a narrativa de gênero”, disse Jasmin Mittag, fundadora do Wer Braucht Feminismus e gerente de campanha para a Vulva Spaceship.

A WBF Aeronautics, que nasceu como uma subsidiária do coletivo, está agora coletando assinaturas via Change.org, para incentivar a agência espacial europeia (ESA) a abraçar o design feminista e construir a nave em grande escala. Considerando como a agência disse, recentemente, querer levantar um veículo de transporte próprio para depender menos de fornecedores terceirizados (como a Rússia, com o Soyuz).

Segundo a WBF, o protótipo conceitual da Vulva Spaceship deve ser apresentado, hoje, 8 de março – Dia Internacional da Mulher. A ESA não comentou a notícia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta