Se conecte com a gente

Aconteceu

Público que prefere evitar notícias ruins na imprensa cresce cada vez mais, diz estudo

Publicado

no

Uma verdadeira enxurrada de notícias ruins tomou conta das redações com a pandemia de Covid-19. Emissoras de televisão acabaram caindo em descrédito por muitos, como é o caso da Globo, que chegou a ser apelidada, muitas vezes, de Glovid, quando a programação da emissora virava motivo de piada.

O programa “Combate ao Coronavírus”, por exemplo, perdendo cada vez mais audiência, teve que ser tirado do ar.

O público, de fato, parece ter nutrido uma forte repulsa à mídia. E se antes isso era apenas uma suspeita, agora por meio de um relatório, essa suspeita se confirmou. Isso porque um estudo realizado pelo Reuters Institute, mostrou que o público está se afastando cada vez mais dos meios de comunicação.

Noticiário “Combate ao Coronavírus”, em queda livre na audiência, foi tirado do ar na Globo.

De acordo com informações do jornal Estado de Minas via AFP, o relatório publicado nesta quarta (15), detalha que o impacto combinado da pandemia de coronavírus, da guerra na Ucrânia e da inflação foram os responsáveis por essa fuga.

“Eu usei menos a TV e o rádio porque é constantemente covid, covid, e covid”, respondeu um homem de 58 anos. “Ou eles colocam constantemente política. Então eu simplesmente desligo.”

Para o relatório, 93 mil pessoas foram entrevistadas em 46 países ao redor do mundo, entre eles o Brasil. Entre os entrevistados, 38% disseram preferir ignorar os meios de comunicação, o que representa um crescimento de 11% com relação a pesquisa feita em 2017, quando essa proporção ficou em 29%.

A reportagem do Estado de Minas mostra ainda que o percentual do relatório aumenta em relação ao Brasil, com 54%, e Reino Unido, com 46%.

“Evito de forma ativa as coisas que podem me causar ansiedade e ter um impacto negativo na minha vida”, confessou um jovem britânico de 27 anos aos entrevistadores.

A sensação de repetição do conteúdo, em específico o caso de sucessivas crises políticas e da pandemia foi o principal motivo para se manter longe das notícias.

Público que prefere evitar notícias ruins na imprensa cresce cada vez mais, diz estudo.

O sentimento de impotência e a dificuldade para entender alguns problemas também foram mencionados pelos entrevistados: “Os temas que os jornalistas consideram importantes, como as crises políticas, os conflitos internacionais e as pandemias mundiais, parecem ser precisamente os que afastam algumas pessoas”, explicou Nic Newman, principal autor do Estudo.

A confiança nos meios de comunicação caiu na metade dos países em que o pesquisa foi realizada, e subiu apenas em sete deles. Esse resultado representa um revés depois do início da pandemia, que incrementou o interesse e a atenção às mensagens públicas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta