Se conecte com a gente

Aconteceu

Bar especializado em público LGBTQIA+ nos EUA é fechado após não “lacrar” o suficiente

Publicado

no

Representatividade. Essa é a palavra que melhor definia a proposta do Mina’s World, um bar especializado no público LGBTQIA+ localizado na Filadélfia, Estados Unidos. Contudo, a proposta que parecia ser boa não durou muito tempo. Isso porque o empreendimento acabou sendo fechado. De acordo com informações do guia Eater Philadelphia, o último dia de operações no local foi na última sexta (01).

Entretanto, o motivo que levou o término das atividades no bar, que agora tem status de permanentemente fechado no Google, foi o que mais chamou atenção: não ter ‘lacrado’ o suficiente.

Embora tenha sido criado em nome da representatividade, os funcionários se revoltaram contra as proprietárias e exigiram que elas “redistribuíssem” a empresa.

Mina’s World foi divulgado pelo Google.

A revolta se aglomerou em uma página do Instagram chamada “Minas World Workers”, que no último mês, começou a publicar acusações contra o estabelecimento, alegando que eles haviam submetido os funcionários a “manipulação, abuso de poder, exploração, anti-negritude, capacitismo” entre outras acusações resumidas em uma “Lista de Reclamações”.

O Mina’s World era definido como um “ponto de encontro para pessoas de identidades marginalizadas”, e tinha Sonam Parikh no comando da empresa juntamente com a sócia e co-proprietária Kate Egghart. O negócio, além de tudo, era autointitulado como o primeiro café da cidade a ser dirigido e operado por pessoas queer e trans negras (“QTPOC”). Contudo, a proposta não se mostrou suficiente.

Em meio as acusações, as proprietárias Egghart e Parikh, por meio de uma live que não ficou gravada no Instagram, pediram desculpas e se prontificaram a entregar o estabelecimento o vendendo para os funcionários, que até tentaram comprá-lo com uma campanha de financiamento coletivo na plataforma GoFundMe. Contudo, a meta de US$ 200 mil não foi atingida, e o grupo arrecadou apenas US$ 11 mil.

A permanência do negócio a este ponto, porém, já tinha se tornado insustentável.

Equipe do Mina’s World.

Com o fracasso do plano, o fechamento das portas era iminente. O estabelecimento então emitiu um comunicado oficial e anunciou: “O Mina’s World está fechado. Não temos dinheiro suficiente para continuar operando. A ‘Geladeira do Povo’ ficará no local por enquanto. Se nos pedirem para movê-la, encontraremos outro hospedeiro no oeste da Filadélfia. Obrigado pela oportunidade de atendê-los da maneira que pudemos”, diz.

Na publicação, inúmeros comentários polarizados celebrando o fechamento se dividem seja pelo estabelecimento ser “lacrador”, seja por não ter sido suficientemente ‘inclusivo’ na prática.

Em uma iniciativa chamada Pride Espaces to Belong, o Google ajuda a divulgar outros empreendimentos voltados ao público LGBT, assim como o Mina’s World, mas que diferente dele, seguem abertos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta