Se conecte com a gente

Aconteceu

Menina de 12 anos foge de cativeiro nos Estados Unidos ao roer cordas que a prendiam

Publicado

no

Uma garota de 12 anos conseguiu fugir de um cativeiro ao roer as cordas que a prendiam em uma casa. Ao se libertar, a jovem ainda ajudou a polícia nas investigações que acabaram por descobrir dois corpos em decomposição. O caso aconteceu no Alabama, na manhã da última segunda (01).

De acordo com informações da TV WSFA, afiliada da rede NBC, o xerife do condado de Tallapoosa, Jimmy Abbett, confirmou que documentos importantes revelaram que antes de escapar, a menina havia sido agredida, drogada com álcool e amarrada a uma cama por quase uma semana.

“É horrível ter uma cena de crime dessa natureza e também um adolescente de 12 anos para lidar com essa situação horrível”, disse Abbett.

O xerife disse que ainda na manhã, a polícia atendeu a uma ligação de um motorista que encontrou a menina andando sozinha em uma estrada em Dadeville, Alabama.

Com a ajuda da menina, as autoridades iniciaram uma investigação de 24 horas que levou à prisão de José Paulino Pascual-Reyes, de 37 anos. O homem foi acusado de sequestro, assassinato e abuso de cadáver. No momento, ele está detido na cadeia do condado de Tallapoosa, onde aguarda julgamento.

Jose Paulino Pascual-Reyes, o sequestrador de 37 anos.

Para não comprometer as investigações que seguem em andamento, o xerife não detalhou quando José Paulino sequestrou a menina, e nem se ele tinha algum relacionamento ou contato com ela.

Embora tenham se recusado a informar mais detalhes a respeito dos dois corpos que foram encontrados, as autoridades afirmaram que uma equipe de legistas trabalha para saber a causa da morte e a identificação deles.

Menina de 12 anos foge de cativeiro nos Estados Unidos ao roer cordas que a prendiam.

A atitude da menina foi elogiada por Jacqueline Burgess. Segundo a diretora da ONG Tri-County Children’s Advocacy Center, a jovem demonstrou bravura e coragem de uma forma que nunca tinha visto antes, e afirmou que ela continua segura e protegida até que as investigações cheguem ao fim.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta