Se conecte com a gente

Aconteceu

Governo da Argentina abre licitações para compra de 10 mil pênis de madeira polida

Ministério da Saúde justificou medida alegando que estudos mostraram deterioração nos indicadores de ISTs.

Publicado

no

O governo da Argentina, por meio de seu Ministério da Saúde, está preparando a compra de ítens que incluem pênis de madeira para serem usados como material de campanha para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Segundo informações do portal de notícias Infobae, a aquisição dos ítens, que inclui também dispensers e maletas de preservativos, foi autorizada por um valor estimado de 13 milhões de pesos (equivalente a quase R$ 690 mil). O processo de compra, todavia, gerou fortes críticas ao governo no país pelo fato de ter sido feito em um momento de pandemia de Covid-19.

De acordo com informações do jornal argentino La Nacion, três licitantes se candidataram para entregar os itens de madeira na autorização do concurso público que consta a data de 24 de junho, e tem a assinatura da Secretaria de Saúde do Ministério da Saúde.

“Os insumos solicitados garantirão uma ampla disponibilidade de materiais promocionais cujo objetivo é conscientizar e prevenir a propagação de doenças sexualmente transmissíveis como o HIV e outras ISTs no âmbito da Lei nº 23.798”, diz o expediente expedido pela Secretaria do Acesso à saúde.

Do total, dois participantes indicaram que os produtos são importados e um que é de produção nacional. As ofertas variam de 498 pesos (R$ 26,49) a 1.430 pesos (R$ 76,08), por unidade, no caso das importadas, e no meio está a de produção nacional, que sairia por 882 pesos (R$ 46,92).

Os detalhes da compra aparecem no Portal de Compras Públicas da Argentina. Segundo os dados, trata-se da aquisição de 10 mil maletas de propileno de cor turquesa; 10 mil dispensers de preservativos; e 10 mil unidades de pênis de madeira polida.

As quatro ofertas que o Ministerio de Saúde da Argentina recebeu.

Questionado, o Ministério da Saúde afirmou ter fundamentado a medida em “estudos preliminares que revelam uma deterioração nos indicadores relacionados às doenças sexualmente transmissíveis durante a pandemia”.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta