O que acontece quando se criam impostos para os mais ricos?

Todo mundo um dia já parou pra pensar em soluções para problemas que envolvem a crise no Brasil. Algum dia você com certeza já deve ter pensado: "Se o Brasil está em crise, por que o governo não imprime mais dinheiro e acaba com o problema?" Mas tudo não passa de uma mera ilusão.

Como seria se a Terra tivesse anéis assim como Saturno?

Nossa visão do céu seria bem diferente. A exemplo de Saturno, os anéis estariam entre 7 mil e 80 mil km acima da superfície, posicionados acima da Linha do Equador. Vem ver mais.

Mulheres que abortam têm mais chances de cometer suicídio, segundo estudo

Mulheres que fazem abortos também têm quase o dobro de risco de desenvolver problemas mentais em comparação com as demais pessoas, segundo estudo.

30 curiosidades que você não sabia sobre os cachorros

Será que você conhece tanto assim sobre os cachorros? Veja nosso artigo

Fumar maconha apenas 5 vezes na adolescência já aumenta risco de psicose, segundo estudo

Fumar maconha pode não ter os mesmos efeitos para todo mundo e, quando o início do hábito começa na adolescência, é ainda mais prejudicial.

25/05/2018

Por que os caminhoneiros são tão importantes e o que aconteceria se uma greve deles durar 1 mês no Brasil?

Uma greve de caminhoneiros está acontecendo no Brasil e muitos estão assustados e até desesperados, imaginando que um caos pode acontecer por aqui. Antes de mais nada, a gente precisa te explicar o motivo dos caminhoneiros serem tão importantes no Brasil. São eles que abastecessem os hospitais com bombas de oxigênio, os supermercados com os alimentos, as farmácias com os remédios, enfim. São esses caras que fazem com que o milho que é produzido lá no Mato Grosso, chegue até Minas Gerais pra fazer a pamonha da festa junina por exemplo. 


Ué? Mas só no Brasil? Sim, basicamente se essa paralisação acontecesse em outros países, talvez ela não tivesse tanta importância assim. Isso porque o Brasil poderia ter trens e caminhões como meio de transporte de insumos, mas graças a um cara chamado Juscelino Kubitschek, só mesmo os caminhões é que carregam o Brasil todo nas costas. Até existem trens para transporte de alguns pouquíssimos insumos, mas hoje na república eles não significam muita coisa. Literalmente uma carga pesada, e põe pesada nisso com o preço da gasolina! Mas vamos lá!

Como Pedro e Bino viraram os caras?

Muitos adeptos da república no Brasil, consideram que o Juscelino Kubitschek é o melhor presidente por ter anunciado seu tão famoso projeto de avançar 50 anos em 5, que era o tempo que um presidente assumia o poder naquela época: 5 anos.


Você já deve saber que mudar a capital do Brasil foi uma das principais mudanças que ele fez. Antes a capital era o Rio de Janeiro e depois passou a ser Brasília, um local antes inexistente. JK como é mais conhecido, construiu Brasília inteira do zero e isso em um período de menos de 5 anos. Ele realmente foi um homem muito avançado ninguém pode negar, principalmente se você comparar com os demais presidentes que já tivemos inclusive depois dele. 

Fora a construção de Brasília, JK conseguiu chamar grandes fabricantes para o país, principalmente para a região Sudeste e levou emprego tanto para Sudeste, quanto para o Nordeste já que muitos nordestinos lá do sertão começaram a migrar para o Sudeste (a maioria para São Paulo) e também para Brasília para ajudar na sua construção. 

Só que trazer essas fabricantes não fazia muito sentido porque as de maior importância que ele trouxe, eram quase todas automobilísticas como GM e Ford. Quando ele chamou essas grandes fabricantes, elas sabiam que a sua maior potência era o uso de caminhões para transporte de alimentos entre outras coisas, e no Brasil isso não acontecia muito, porque aqui não tínhamos tantas estradas (ou seja rodovias) e sim grandes ferrovias (linhas de trem) que D. Pedro II, nosso imperador estava começando a investir e expandir nos tempos do império para conectar todo o país.

Sabendo da falta dessas estradas, JK então começou a construção das maiores e principais rodovias existentes até hoje. Ele uniu o Brasil inteiro do Norte ao Sul através dessas rodovias e assim, começou-se a usar caminhões ao invés de trens por aqui. As linhas de trem foram começando a ficar em segundo plano na economia e logo começaram a decair, assim, várias cidades que eram um ponto de referência quanto a transporte e distribuição de alimentos, remédios, entre outras coisas acabaram falindo, tudo por causa do fim da utilização das linhas férreas.

Além da falência dessas cidades, começou a ter um alto declínio da economia do país, já que, embora tivéssemos agora as estradas e os caminhões, ainda era necessário que o governo gastasse importando muito, mas muito combustível para esses caminhões.

Isso foi uma crítica para JK até por volta de 1961, quando ele deu o primeiro passo dentro da Petrobras, criando uma grande refinaria para produzir combustível aqui no nosso Brasil e fazer que essa rodagem fosse auto-suficiente sem ter que gastar mais tanto dinheiro com importações, ou seja, o Brasil inteiro abraçou a ideia e os caminhoneiros com isso, viraram uma grande massa no país. 


Antes os mais importantes eram os maquinistas que operavam os trens, agora já não mais. E os caminhoneiros ficaram responsáveis por tudo, por toda distribuição de insumos (alimentos, remédios, enfim). E não demorou muito para eles perceberem que eles eram tão importantes assim. 

A primeira greve da turma de Pedro e Bino

Já em 1959, antes mesmo da refinaria quando ainda eram criticados, eles fizeram a primeira paralisação e que foi muito semelhante com a de agora, só que o Sul e o Centro-oeste quase nem sentiram cócegas, os caminhoneiros pararam mais do Sudeste para o Nordeste, do Rio para a Bahia, onde os alimentos não chegavam e os locais começaram a ficar em crise e então os caminhoneiros conseguiram o que queriam.

Aliás, vale lembrar que essas greves não acontecem só no Brasil. Em 1972 no Chile, uma grande greve de caminhoneiros conseguiu derrubar um presidente socialista chamado Salvador Allende, mas isso é história pra outra matéria da coluna Contando História.

O que acontece quando Pedro, Bino e toda a galera cruzam os braços?

Bom, agora que você basicamente já deve saber até aqui o que acontece quando os caminhoneiros dizem que não vão mais trabalhar, chegou a hora de você entender o que acontece cronológicamente.

Só que antes de você continuar lendo, queremos lembrar que essas são apenas algumas especulações de problemas que inclusive já estão acontecendo (é só clicar nos links destacados em negrito). Não significa que o Brasil vai se transformar em um verdadeiro apocalipse zumbi de imediato conforme os dias forem passando mas sim, que são problemas que já acontecem e que, conforme o tempo vai passando sem a galera do caminhão, as coisas vão se agravando.

Primeiro dia: quase não sente cócegas

O primeiro dia é o mais suave. Você quase não sente nada porque tudo continua abastecido normalmente, a não ser os locais que já estavam sem estoque e necessitavam repôr, esses locais são os primeiros a sofrer com a falta dos caminhoneiros.

Segundo dia: cadê meu McDonalds?


No segundo dia as fabricações começam a notar a falta deles. A falta de matéria prima começa a ser um motivo de problema nas fábricas, e então a fabricação de alguns locais começam a parar porque não tem matéria prima. 

Obras também param por falta dessas matérias primas, além da falta de alimentos frescos em restaurantes e até fast-foods como McDonalds, Burguer King, etc que inclusive já sentiram a falta de pães por exemplo no estoque recentemente, é só você clicar aqui se quiser conferir.

Terceiro dia: cadê os ônibus? Uber? Dá pra chamar Táxi?

A falta de gasolina começa a ser geral em todos os locais, porque até isso os caminhoneiros transportam. E a falta de gasolina em todos os postos cria problemas que você talvez nem saiba que existam. Os ônibus por exemplo começam a parar de funcionar ou então as empresas cortam pela metade o tamanho da frota como aconteceu em São Paulo recentemente. Agora você não pode mais se locomover de um lado da cidade para outro. 


Digamos que você trabalhe em outro lado da cidade, agora só tem dois caminhos: ou você dorme na empresa e não vai pra casa, ou vai pra casa e não pode voltar para o emprego no dia seguinte. Talvez a fábrica feche por não ter empregados para trabalhar e não, não tem como chamar Uber ou Táxi por que não precisamos nem explicar né? Eles também precisam abastecer seus carros com a gasolina que não tem mais.

E a gravidade aumenta quando pensamos que a pessoa que não pode trabalhar porque mora do outro lado da cidade, pode ser um operário, mas também pode ser um médico, um policial.

Um médico não vai mais conseguir estar no hospital e ele já não será mais um ponto de atendimento porque o médico não vai conseguir chegar até lá.

E isso se reflete em algo pior ainda quando os caminhões de lixo agora, sem combustível, param de circular. E não precisa nem dizer os problemas que causariam o acúmulo de lixo, certo?

Um mês: o Brasil perde a Copa por W.O.

Em 1 mês de greve os locais que tem o maior número de estoque de combustível acabam também ficando sem ele. Esses locais são os aeroportos e os aeroportos têm algumas máquinas que funcionam sem gasolina, essas máquinas vão demorar um pouco mais para serem afetadas, só que naturalmente as máquinas que trabalham com gasolina, diesel, álcool enfim pode ser afetadas sim e aí já começam a parar os aeroportos.


Ou seja, além de afetar o nosso país, começa afetar para além dele, porque muitas coisas podem acontecer. Hoje por exemplo, se os aeroportos parassem, toda a seleção brasileira está aqui e os jogadores não teriam como ir para a Rússia disputar o mundial fazendo a gente perder por W.O.

O que os caminhoneiros querem pra voltar a dirigir?

O preço dos combustíveis disparou como nunca antes na história, e uma gasolina sem impostos chega a custar menos de R$ 3,00 o litro e não os exorbitantes R$ 9,99 o litro. Os políticos dizem que não há como cortar impostos porque falta dinheiro e a população tem que pagar mais.

O problema no entanto, é o fato de nunca faltar dinheiro público quando juízes do supremo pedem aumento em seus já exorbitantes salários, super-aposentadorias, auxílios e muito menos quando o governo cria novos ministérios. Ninguém quer pagar essa conta e naturalmente que os caminhoneiros chegaram ao seu limite e estão exigindo que os impostos sejam diminuídos.

Em suma, a diminuição dos impostos e o cumprimento da lei do voto impresso são as principais reivindicações dos caminhoneiros nessa greve. 

Será que vai chegar tão longe assim?

A estimativa é de que obviamente a greve não chegue a tanto. Esperamos realmente ver a seleção jogando as finais da Copa na Rússia e que nos próximos dias tudo já volte ao normal.

E você, o que achou da matéria? Dê o seu feedback nos comentários, diga o que achou, e compartilhe com seus amigos se curtiu.

24/05/2018

7 dicas para você economizar gasolina e poder andar bem mais com o seu carro

O preço do combustível no Brasil tem chamado há atenção há meses. Os reajustes são frequentes, levando muita gente a deixar o carro em casa e optar pelo transporte público ou por alternativas mais econômicas, como a bicicleta. Porém, para quem não pode ou não consegue fazer isso, existem algumas dicas que podem ajudar o consumo a diminuir, nem que seja só um pouco. Confira:


Mantenha os pneus calibrados

Quanto mais murcho o pneu, mais força o motor terá que fazer para manter o carro em movimento. Esse motivo é um dos principais que elevam o consumo de combustível e que pode ser evitando mantendo uma rotina de calibragem a cada duas semanas seguindo as recomendações de fábrica – normalmente elas se encontram na tampa do abastecimento.

Deixe os filtros de ar limpos

Os filtros garantem a fluidez necessária para manter o motor funcionando. Caso estejam muito sujam, acabarão forçando o motor a usar mais combustível. Felizmente, essa manutenção pode ser bem mais esporádica – a cada 15 mil km, em média – e não custa muito caro.

Evite pequenos trajetos

Para ligar o carro e aquecer o motor, muito combustível é usado. Assim, trajetos curtos ou com muitas paradas podem acabar aumentando a conta. Por isso, antes de sair de casa, procure planejar suas atividades para ligar e desligar o motor o menor número de vezes.

Use a marcha adequada

Se você está conseguindo manter uma boa velocidade, não vá deixar a marcha muito baixa. Quanto maior a marcha, maior a economia – desde que, é claro, a velocidade e o rendimento do motor estejam de acordo.

Evite carregar peso desnecessário

Estima-se que a cada 45 kg a mais de carga, o consumo de gasolina aumenta em 2%. Por isso, não fique carregando objetos supérfluos de um lado para outro. O ideal é carregar consigo apenas o que será necessário para aquela viagem.

Tire o pé do freio

Por insegurança, muitas pessoas andam com o pé em cima do pedal do freio. Em alguns carros, qualquer encostada ali pode diminuir a rotação do motor, que consumirá mais gasolina para voltar à velocidade normal. Só utilize o freio na hora que realmente for necessário parar ou ficar mais lento.

Não fique rodando com óleo vencido

Você sabia pode economizar até 10% de combustível se manter o óleo do motor sempre em dia? Prefira, também, acatar as recomendações do fabricante quanto ao tipo de óleo ideal para o seu carro.

Fonte: Megacurioso

22/05/2018

Trem parte 25 segundos adiantado e empresa ferroviária pede desculpas no Japão

Uma companhia ferroviária japonesa emitiu um pedido oficial de desculpas depois que um de seus trens partiu da estação com 25 segundos de antecedência. A retratação da West Japan Railway Company veio depois que um de seus trens expressos deixou a plataforma na estação de Notogawa, no centro do Japão, às 7h11m35s, em vez das 7h12 no dia 11 de maio.

O condutor fechou as portas do trem antes do previsto, de acordo com o comunicado da empresa. A partida antecipada não afetou nenhum outro cronograma naquele dia, mas uma pessoa perdeu a viagem.

"Nós incomodamos muito nossos clientes e nos esforçaremos para impedir que isso ocorra novamente", disse JR West em um comunicado citado pelo jornal local "Asahi", informou o diário australiano "The Sydney Morning Herald".


O Japão se valoriza pela pontualidade. Em novembro do ano passado, a gerência da linha Tsukuba Express, em Tóquio, também pediu desculpas por um trem sair 20 segundos mais cedo. Na ocasião, o condutor deu partida às 9h43m40s em vez de 9h44.

De acordo com Casey Baseel, um blogueiro americano que mora no Japão, a atitude não surpreende: muitos passageiros no país planejam suas viagens para que cheguem à plataforma no momento exato em que os carros estacionam.

A obsessão do Japão com a pontualidade terminou em tragédia no passado. Em 2005, um trem de passageiros descarrilou e matou mais de 100 pessoas depois que o condutor, atrasado 90 segundos, decidiu acelerar.

Fonte: UOL
 

Copyright © 2017 Curiozone // Todas as imagens de filmes, séries e etc são marcas registradas de seus respectivos proprietários