Se conecte com a gente

Aconteceu

Kyle Rittenhouse é absolvido de todas as acusações de homicídio em manifestações nos EUA

O jovem foi absolvido de todas as acusações de homicídio; entenda o caso.

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Foi absolvido de todas as acusações criminais nesta sexta-feira (19), Kyle Rittenhouse. O jovem estava no tribunal por conta de acusações não somente de homicídio doloso de primeiro grau como também quatro outras acusações criminais feitas após o tiroteio que resultou na morte de dois homens e feriu um terceiro durante manifestações do grupo ativista de esquerda Black Lives Matter no ano passado em Kenosha, Wisconsin.

De acordo com informações do jornal New York Post, o caso deixou os americanos divididos entre se Rittenhouse, 18, era um patriota que se posicionava contra a ilegalidade ou um vigilante.

A imprensa brasileira militante, porém, deixou de lado a imparcialidade e tomou sua posição julgadora no caso. No Twitter, o portal UOL defendeu os manifestantes acusando falsamente o jovem de ter atirado em dois negros, quando, na realidade, eram brancos.

A postagem foi duramente criticada por usuários do Twitter, entre os quais o jornalista Glenn Greenwald: “Enquanto isso, um dos outros maiores veículos de comunicação do Brasil, o UOL, postou um tweet afirmando que Rittenhouse matou dois homens negros e, apesar de quantas pessoas objetaram que isso é completamente falso, eles simplesmente deixam assim. Novamente: tudo da mídia dos EUA”, criticou Glenn.


Rittenhouse enfrentou cinco acusações, incluindo homicídio doloso nos tiroteios fatais de Joseph Rosenbaum, 36, e Anthony Huber, 26, bem como tentativa de homicídio por ferir Gaige Grosskreutz, 27.

O juiz Bruce Schroeder lançou uma acusação de porte de arma contra Rittenhouse em um detalhe técnico sobre o comprimento do cano da arma.

Uma outra acusação contra Rittenhouse por violar o toque de recolher na noite dos tiroteios acabou sendo indeferida depois que o juiz decidiu que os promotores não apresentaram provas suficientes.

Rittenhouse tinha 17 anos quando trouxe um rifle semiautomático e um kit médico para Kenosha, no que ele afirma ter sido um esforço para proteger a comunidade local, quando aconteceram, em 25 de agosto de 2020, protestos após o tiro policial que atingiu Jacob Blake, um homem negro que ficou paralisado da cintura para baixo.

Kyle Rittenhouse caminha ao longo da Sheridan Road em Kenosha, Wisconsin.

Durante o julgamento que durou duas semanas, o júri ouviu como Rittenhouse atirou mortalmente em Rosenbaum em um confronto inicial e, momentos depois, atirou mortalmente em Huber e feriu Grosskreutz.

Seus advogados argumentaram que ele agiu em legítima defesa e só puxou o gatilho para aqueles que o provocaram durante os protestos.

“Kyle Rittenhouse atirou no Sr. Rosenbaum porque ele estava atacando Kyle. Cada pessoa que foi baleada estava atacando Kyle – uma com um skate, outra com as mãos, outra com os pés, outra com sua arma”, disse o advogado de defesa principal, Mark Richards, nos argumentos finais.

Os promotores, no entanto, o retrataram como o instigador do derramamento de sangue, alegando que ele “provocou tudo” ao trazer um rifle para os protestos e depois foi embora como um “herói em um faroeste – sem se importar com nada do que acabou de fazer. ”

“Você perde o direito à legítima defesa quando é você quem trouxe a arma, quando é você quem cria o perigo, quando é você quem provoca outras pessoas”, disse o promotor público Thomas Binger aos jurados.

Rittenhouse não resistiu ao depor em sua própria defesa no final do julgamento, soluçando incontrolavelmente ao descrever ter ouvido um tiro atrás dele enquanto era perseguido na rua por Rosenbaum. O jovem afirmou que fez o que tinha que fazer para parar a pessoa que o estava atacando, e assim os matou, numa clara constatação de que foi uma legítima defesa.

Rittenhouse testemunhou que Rosenbaum o encurralou e colocou a mão no cano de seu rifle, Huber o atingiu com um skate e Grosskreutz veio para cima dele com uma arma.

Kyle Rittenhouse é absolvido de todas as acusações de homicídio em manifestações nos EUA.

Seu relato foi amplamente corroborado por uma série de vídeos de testemunhas que foram exibidos para os jurados, bem como para as próprias testemunhas de acusação.

Grosskreutz, o único sobrevivente, assumiu o depoimento como testemunha da acusação, dizendo que ele estava apontando, sem querer, uma arma para Rittenhouse quando o adolescente atirou nele.

“Achei que o réu era um atirador ativo”, disse Grosskreutz, acrescentando que foi atrás de Rittenhouse depois de vê-lo atirar no segundo homem à queima-roupa.

Questionado sobre o que se passava em sua mente enquanto tirava a arma do coldre, ele disse que acreditava que iria morrer. Por fim, a defesa de Rittenhouse exigiu que o juiz declarasse a anulação do julgamento e impedisse o adolescente de ser julgado novamente após acusar o promotor-chefe de fazer perguntas que não tinham relação com o caso.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta