Se conecte com a gente

Aconteceu

Pai espancou estuprador de seu filho até ele ficar com o rosto deformado

Jason Browning se revoltou ao flagrar seu filho à epoca com 11 anos sendo abusado sexualmente. Caso ocorreu em 2014 nos EUA.

Publicado

no

O estupro por si só já é algo absolutamente abominável. Aquele praticado contra crianças, então, é mais estarrecedor e revoltante ainda. Um desses casos foi divulgado pela imprensa em 2014, quando o norte-americano Jason Browning virou notícia, depois espancar Jason Frolander, de 18 anos, acusado de ser o abusador sexual de seu filho de 11 anos.

O pai do menino, que por ser menor de idade não teve o nome divulgado, afirmou, em entrevista à TV afiliada da CBS, que depois que flagrou o estuprador cometendo o ato contra seu filho, imediatamente o espancou, e logo em seguida, planejava matá-lo com uma faca de cozinha.

Frolander, 18, foi espancado até ter cara deformada pelo pai do menino de 11 anos.

Com a faca empunhada, o homem estava pronto para matar Frolander, o filho de Browning, porém, interveio pedindo para que o pai não o matasse.

“Meu filho parou na minha frente e me impediu. Meu filho salvou a vida de seu agressor. Quem é o verdadeiro herói nessa história?”, questionou o homem.

Frolander, pego em flagrante, “era como se fosse da família”, e estava, segundo Browning, pelado, abusando do menino. Foi quando ele partiu para cima do rapaz. A agressão foi tão severa que ele precisou ser hospitalizado antes de ir para a prisão e ser julgado.

O tempo passou, e embora no momento em que foi preso tenha confessado que abusava do filho de Browning há 3 anos, durante a primeira audiência, porém, Frolander alegou ser inocente e negou os abusos contra o menino.

O menino impediu o pai, Jason Browning, de esfaquear o agressor.

A família do garoto acompanhou a sessão. Jason Browning, pai da criança, falou com a imprensa logo em seguida.

“Eu fiz um pedido através da Procuradoria do Estado para Frolander ser examinado. Eu não sei que doenças ele pode ter passado para o meu filho”, disse ele.

Browning acrescentou ainda que o menino passa bem, dizendo que não estava deixando nada mantê-lo cabisbaixo.

Jason Browning, pai do menino de 11 anos abusado sexualmente.

“Era comum deixar as crianças com ele no quarto jogando videogame. Agora, tenho que me perguntar por que a porta ficava fechada”, afirmou Browning na época, onde apesar da reação extrema, não foi acusado de nenhum crime e, na primeira audiência do julgamento, teve sua ação defendida pelas autoridades.

“O pai agiu como um pai. Não vejo que tenha cometido nenhum crime”, disse o chefe da polícia de Daytona Beach, Mike Chitwood.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta