Se conecte com a gente

Aconteceu

Marcos Uchôa associa demissões em massa na Globo a Jair Bolsonaro: “Ele foi em cima”

Fim da mamata?

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Enquanto alguns alimentam a narrativa de que a Globo não passa por uma crise, ou que ela estaria passando, mas que Jair Bolsonaro não tem nada a ver com isso, há outros que discordam. Marcos Uchôa, ex-funcionário da emissora, atribuiu as demissões em massa na Globo ao chefe do executivo, em entrevista concedida na segunda-feira (23). A associação foi feita pelo jornalista após a deixar a emissora, em que esteve por 34 anos, em novembro do ano passado. Ele afirmou que o chefe do Executivo impôs um sistema de contratação prejudicial ao canal, o que culminou no corte dos grandes salários nos últimos anos.

“Eu não tinha mais contrato. Foi uma das coisas que o Bolsonaro fez… Antes, pessoas que tinham um salário melhor na Globo ganhavam como pessoa jurídica. No primeiro ano de governo, ele já foi em cima em termos trabalhistas, dizendo que isso não podia ser assim, e todo mundo passou a voltar a ser funcionário. Até o Galvão, até o Faustão”, afirmou Marcos Uchôa ao podcast Inteligência Ltda.

Eu era uma pessoa contratada como outra qualquer. Não tinha um período para vencer o contrato. Pedi demissão normalmente. Expliquei que queria sair. Não tenho nenhuma mágoa da Globo. É claro que houve momentos em que quis fazer coisas que não pude fazer, porque eles não deixaram, mas é a regra do jogo.”

Ainda no podcast, Uchôa afirmou que a emissora passa também por uma crise financeira: “A Globo está sofrendo, como muitos meios de comunicação, com a saída do dinheiro das mídias tradicionais e a entrada do dinheiro na internet. Por exemplo, o teu programa é um adversário, um concorrente que anos atrás não existia.”, afirmou.

De acordo com informações do jornal Extra, Uchoa se filiou ao PSB e avalia se candidatar a deputado federal. O jornalista se considera de “centro-esquerda” e afirma que uma de suas prioridades no partido será ajudar na campanha de Freixo, candidato de extrema-esquerda no Rio de Janeiro.

Marcos Uchôa e Marcelo Freixo.

Em entrevista recente à revista Veja, outro ex-funcionário da Globo apontou Bolsonaro como a grande pedra no sapato da emissora. Desta vez, porém, não foi em tom depreciativo. O ator Humberto Martins declarou apoio ao presidente, afirmando que o chefe do executivo “deu espetada no traseiro” da emissora.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta