Se conecte com a gente

Aconteceu

Sem estoque para atender clientes, vendedor de espetinhos é socorrido pelo concorrente

Caso aconteceu no início do mês no Mato Grosso do Sul e viralizou na internet.

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Uma verdadeira lição de empatia tomou conta da internet nas últimas semanas, quando o relato de um vendedor de espetinhos sul-mato-grossense compartilhou sua história. Tudo aconteceu na primeira sexta-feira de fevereiro, quando ao receber aproximadamente 10 clientes em seu trailer, Augusto Luiz da Silva, de 30 anos, viu que seu estoque de espetinhos havia acabado. Aquele momento poderia ter sido um desastre para ele, se não fosse a empatia de alguém inesperado: seu próprio concorrente.

Com medo de desapontar a numerosa clientela que havia acabado de chegar, Augusto arriscou receber um sonoro “não” e, com coragem, foi até seu concorrente perguntar se ele poderia ser seu fornecedor naquele momento e o socorrer dando 10 unidades de espetinho para finalizar o atendimento e, logo em seguida finalizar o expediente.

De acordo com informações do jornal local Campo Grande News, a ajuda de Vilson Vicente foi fundamental para que Augusto não ficasse na mão. Sem hesitar, há aproximadamente quatro quadras do trailer de Augusto, Vilson o surpreendeu e o ajudou.

Vilson assando espetinho na noite de sábado, dia do seu aniversário.

O vendedor conta que pediu só 10 unidades para não perder a clientela, mas Vilson foi além e forneceu 30: “Nessa hora me emocionei. E ele ainda disse que só não trouxe mais porque faltaria pra ele também”, conta Augusto.

Segundo Augusto, Vilson não o cobrou naquele momento, e lhe disse que poderia fazer um PIX quando conseguisse, o que o surpreendeu mais ainda. Depois de vender todos os espetinhos, Augusto voltou para casa agradecido e com o coração cheio de esperança.

Por isso, no sábado de manhã (05), Augusto decidiu publicar o gesto do concorrente no grupo público “Aonde ir em Campo Grande”. Ele contou como tudo aconteceu e agradeceu mais uma vez Vilson, divulgando ainda fotografia da fachada e endereço do seu concorrente.

A publicação rendeu em menos de 24 horas: 1,2 mil compartilhamentos, 10 mil curtidas e 1,5 mil comentários no Facebook.

“Foi uma maneira de retribuir o que ele fez por mim e fazer com que as pessoas conheçam o estabelecimento dele, que é muito bom aqui no bairro”, afirma Augusto, que já recebeu clientes no trailer indicados pelo próprio concorrente.

A reportagem foi até o espetinho do Vilson, que trabalhou em pleno sábado de aniversário. Surpreso com a repercussão do relato de Augusto nas redes sociais, ele garante que o gesto de empatia tem estoque ilimitado, e que faria outra vez se fosse preciso.

“Aqui um ajuda o outro. Não tem essa de concorrência. Todo mundo precisa ganhar o pão de cada dia e garantir o sustento da família”, conta Vilson.

Ao contrário de Augusto que abre o trailer somente à noite. Vilson trabalha também vendendo marmitas na hora do almoço, e conta que seu gesto é fruto de um aprendizado: “A minha vizinha aqui na rua também vende marmita e já me ajudou quando acabaram minhas marmitas. Então a lição é sempre ajudar, porque um dia podemos precisar de ajuda também, nunca se sabe”, ensina Vilson.

Espetinho de camarão vendido no trailer de Augusto custa R$ 7.00.

Açougueiro durante o dia, Augusto Luiz abriu o trailer há 3 meses com o objetivo de ter uma renda extra para a casa, uma vez que sua esposa está grávida de 2 meses.

O trabalho é feito em família, num trailer azul pequeno em frente a um campo de futebol. Para animar o ambiente, Augusto sempre coloca uma caixa de som com música para receber os fregueses.

O diferencial de Augusto está no menu. Além dos tradicionais espetinhos de carne, linguiça e coração de frango, ele também vende espetinho de camarão. Enquanto o espeto de camarão é vendido por R$ 7,00 o restante sai a R$ 5,00 cada.

Esse é o Espetinho do Augusto na Rua Valério de Almeida.

Já o espetinho de Vilson existe há dois anos e teve início quando ele sofreu um acidente de moto e precisou ficar afastado do trabalho de açougueiro. Sem dinheiro para pagar as contas, ele decidiu ir atrás de seu sustento, vendendo espetinho na porta de casa.

“Eu não sabia assar, só sabia cortar, mas comecei a vender e depois quando melhorei voltei ao açougue só para pedir meu acerto e continuar com o espetinho”, conta.

O trabalho também é feito em família e ali o espetinho simples custa R$ 5,00 e o com mandioca R$ 6,50. O diferencial está no feijão como acompanhamento: “Eu gosto muito de feijão, então decidi ter essa opção pra refeição ficar mais completa”, diz.

Esse é o Espetinho do Vilson na Rua Águas da Prata.

Quem morar na região e tiver interesse em conhecer e saborear os espetinhos desses dois parceiros que deram um show de empatia no fim de semana, podem visitá-los:

Enquanto o espetinho do Augusto fica em um trailer na Rua Valério de Almeida, em frente ao campo de futebol e em frente ao número 396 – na Vila Nogueira, o do Vilson está na Rua Águas da Prata, 13 – Vila Nogueira.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta