Se conecte com a gente

Aconteceu

Homem sobrevive após lutar contra quatro crocodilos em lago de fazenda no Zimbábue

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Um zimbabueno conseguiu sobreviver depois de lutar contra quatro crocodilos ao ser puxado para o lago de uma fazenda.

O ataque aconteceu com Alexander Chimedza, morador de Nyamunga, que tentava coletar minhocas a fim de usá-las como isca de pesca. Ao colocar a mão numa moita de ervas daninha para procurar as minhocas, ele acabou sendo surpreendido por um crocodilo que estava à sua espreita e agarrou sua mão.

Em entrevista ao jornal britânico, Daily Star, o homem disse acreditar que os animais estavam a sua espera, e afirmou que apesar de ter se esquivado no primeiro ataque, não conseguiu sair ileso do segundo, quando um outro crocodilo atacou sua mão direita.

O zimbabueno foi puxado para a água turva, onde um dos répteis tentou matá-lo com a notória manobra conhecida como “giro da morte”, em que um crocodilo gira com a presa debaixo dágua.

“Percebi que minha mão iria quebrar se eu resistisse”, contou Alexander que para sobreviver, acompanhou os giros do animal.

Os ataques não pararam por aí. Segundo conta a reportagem do jornal britânico, Alexander teve uma de suas coxas mordidas por um terceiro crocodilo, e um quarto juntou-se ao “banquete”, mordendo um tornozelo e destruindo seu tendão de Aquiles.

Foi nesse momento, que para a sorte de Alexander, alguns de seus amigos que estavam perto do local avistaram os crocodilos e apedrejaram eles. Enquanto isso, o homem enfiou uma mão na garganta de um dos crocodilos.

Para quem não sabe, os crocodilos têm uma ‘válvula palatina’ que impede que a água venha inundar seus estômagos quando mergulham. Apesar de ser recomendado por especialistas que você ataque os olhos do crocodilo ao ser mordido, um ataque à válvula palatina é um último recurso eficaz para neutralizá-lo. E foi o que aconteceu quando as pedras atiradas por seus amigos atingiram o animal.

“Isso, juntamente com os grandes volumes de água que fluíram em sua boca, deve ter levado à sua morte, porque me deixou ir e vi que parecia sem vida depois”, acrescentou.

Após ter conseguido se livrar do crocodilo que segurava seu braço, Alexander se aproximou da margem onde seus amigos o puxaram para um lugar seguro.

O homem passou por uma cirurgia de emergência, onde teve cinco placas de metal inseridas no seu corpo para ajudar a unir seus ossos quebrados. A maioria das placas será removida assim que os ossos se regenerarem. Contudo, uma uma placa de platina em um de seus ombros, será um lembrete permanente do sucesso em sua fuga dos ferozes crocodilos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta