Se conecte com a gente

Aconteceu

Escritora de ‘Como matar seu marido’ é condenada por matar seu marido nos Estados Unidos

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

A romancista americana de 71 anos, Nancy Brophy, autora da obra de ficção ‘Como matar seu marido’ acabou sendo condenada pelo assassinato de Daniel Brophy, seu marido. O julgamento aconteceu em Portland, Oregon, Estados Unidos.

O crime ocorreu em 2018, alguns anos depois do lançamento do livro, em 2011. Segundo informações do portal G1, o júri se debruçou sobre o caso por sete semanas. Contra Nancy, todas as evidências mostraram que ela possuía os meios e, de acordo com a promotoria, era a única pessoa com “motivos” para assassinar Daniel.

“Ela tinha o plano em prática. Ela teve a oportunidade de realizar esse assassinato. Ela era a única pessoa que tinha o motivo”, disse Shawn Overstreet, vice-procurador distrital, nos argumentos finais desta semana.

O marido de Nancy era chef e dava aulas no Instituto de Culinária do Oregon. Foi exatamente na manhã do dia 2 de junho de 2018, que logo depois de chegarem, seus alunos o encontraram morto com dois tiros em uma cozinha do local.

No mesmo dia do acontecimento, a escritora, quando foi interrogada, afirmou que seu cônjuge tinha saído de casa por volta das 7 horas da manhã. Ela não tinha um álibi para o crime, já que um vídeo encontrado pelos detetives mostra ela dirigindo uma minivan no mesmo bairro e por volta do mesmo horário em que Daniel foi assassinado.

Escritora de ‘Como matar seu marido’ é condenada por matar seu marido nos Estados Unidos.

Além disso, de acordo com informações da CNN, a autora de ‘Como Matar o Seu Marido’ havia comprado uma pistola e algumas peças sobressalentes para o equipamento. A arma era do mesmo modelo usado no crime.

Brophy, porém, testemunhou não se lembrar do que havia feito no momento em que foi gravada dirigindo próximo da área do crime. Ela alegou que poderia estar fazendo uma corrida para tomar notas para escrever seu livro e que a conversa com os detetives veio quando ela estava sobrecarregada com a notícia da morte do marido.

A defesa da escritora afirmou que o caso foi baseado em “suspeitas” e “conjecturas”.

“O amor que Nancy e Daniel Brophy tinham não era uma mera possibilidade. Foi o fato mais comprovado neste julgamento”, disse o advogado de defesa, Kris Winemiller, em alegações finais nesta semana.

Eles também tentaram usar um vídeo gravado no bairro. Nas imagens, aparece um homem ainda não identificado que olhou uma bolsa e se escondeu atrás de uma parede quando os policiais chegaram.

O chef Daniel Brophy, 63, que foi morto a tiros em 2018.

Apesar dos familiares terem relatado que por 25 anos, o casal tinha um relacionamento forte e colaborativo, os promotores alegaram que Nancy tinha a motivação financeira para matar Daniel. Eles descobriram que os Brophys estavam com dívidas e que um seguro de vida seria a solução de todos os problemas, uma vez que pagaria centenas de milhares de dólares a Nancy caso Daniel morresse.

Ela, contudo, negou que precisasse do dinheiro: “Um editor riria e diria ‘Acho que você precisa trabalhar mais nessa história’”, garantiu Nancy.

A pena prevista para o crime de Nancy é a prisão perpétua. A sentença está marcada para ser proferida em 13 de junho.

Publicidade
Publicidade

Em Alta