Se conecte com a gente

Aconteceu

Globo sofre prejuízo de R$ 173 milhões em 2021 e põe culpa em direitos esportivos

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

Nesta quinta-feira (31), a GCP (Globo Comunicação e Participações) divulgou um balanço financeiro em que informou ao mercado ter tido uma receita líquida de R$ 14,4 bilhões, o que representa um aumento de 15% em relação a 2020. Contudo, apesar de ganhar mais dinheiro, a empresa viu seus custos crescerem devido o atraso em eventos esportivos durante a pandemia. Ao que parece, apoiar a ideia de deixar a economia depois não foi uma boa alternativa.

De acordo com uma reportagem do site Notícias da TV, o prejuízo da Globo foi de R$ 173 milhões em 2021. Segundo a reportagem, ainda que tenha perdido direitos de transmissão de grandes competições como Libertadores, Fórmula 1, bem como campeonatos estaduais para suas principais concorrentes, a Globo teve que arcar com pagamentos adiados de 2020 para 2021, com a reprogramação do calendário do futebol brasileiro e dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Apenas na área de direitos de transmissão, o prejuízo foi de R$ 503 milhões.

Rede Globo perdeu maioria dos direitos de transmissão de eventos esportivos que rendiam grande audiência.

No ano passado, por exemplo, a empresa teve que fazer um acordo com a Fifa, por conta de uma dívida equivalente a R$ 426 milhões, referente à parecela em atraso de 2020 dos direitos da Copa do Mundo do Catar e de outros eventos da entidade.

Embora tenha deixando transparente seu prejuízo, a Globo quis passar ao mercado uma mensagem de que suas contas estão em equilíbrio, e que seu faturamento está em alta. Isso porque enquanto no primeiro ano da pandemia, a empresa teve um lucro de R$ 167 milhões com uma receita de R$ 12,5 bi, em 2021, os ganhos foram de R$ 14,4 bi. O que indica que seus lucros estão voltando ao patamar pré-pandemia.

A Globo credita vitória nesse aspecto ao seu serviço de streaming, o Globoplay, que teve, segundo o relatório, um incremento de 74% na receita líquida em relação a 2020, com um crescimento de 33% da base de assinantes.

A Globo encerrou 2021 com R$ 12,9 bilhões em caixa, R$ 716 milhões a menos do que foi apresentado em 2020. A dívida do grupo subiu: de R$ 5,5 bilhões (em dezembro de 2020) para R$ 5,8 bilhões. Para Manuel Belmar, diretor-geral de Finanças da Globo, a situação atual da empresa é positiva.

“Apesar de 2021 ainda ter sido permeado por muitas incertezas, a Globo normalizou sua programação do horário nobre, com novos lançamentos nos três horários das novelas. O investimento no ambiente digital tem se mostrado um modelo vencedor, com o aumento da nossa base de Globo IDs [usuários identificados nas plataformas]”, disse o executivo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta