Se conecte com a gente

Aconteceu

Após cratera se abrir em imóvel, mina de 14 metros é descoberta em Ouro Preto

Publicado

no

Minas Gerais é realmente um estado que faz jus ao nome, ou vai dizer que não? Na verdade, como você já deve saber, o nome do estado que era chamado de Cataguás, posteriormente no Brasil Colônia, ganhou o nome de Minas Geraes (sim, com E mesmo) devido a gigantesca variedade de minas de diversos metais encontradas no local.

O gentílico não era mineiro, e sim geralista… Mas bom, deixando um pouco a história de lado, e voltando ao que interessa nos tempos atuais, o que aconteceu no sábado, 5 de fevereiro, não foi tanto uma surpresa para os mineiros. Contudo, acabou virando notícia. É que a abertura de um buraco de seis metros de profundidade em uma casa no bairro Treze de Maio, em Ouro Preto, acabou resultando na descoberta de uma mina com 14 metros de extensão.

Pois é, imagine você acabar descobrindo ter, em casa, uma verdadeira mina com metais preciosos. De acordo com informações do jornal O Tempo, a exploração se deu em uma ação conjunta da Defesa Civil do município e do Corpo de Bombeiros. Confira o vídeo da vistoria:

O imóvel, em questão, foi interditado pelos órgãos. Neri Moutinho, coordenador da Defesa Civil de Ouro Preto, informou que a vistoria foi realizada após a dona da casa relatar a abertura de um buraco logo na porta de entrada da residência.

Após cratera se abrir em imóvel, mina de 14 metros é descoberta em Ouro Preto.

No local, a equipe estranhou a profundidade do buraco e entrou na cavidade com o uso de um rapel. Ao chegar ao fundo, eles observaram um imenso salão, que estava vazio, com cerca de 14 metros de profundidade. Um professor da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), que faz um trabalho conjunto com a prefeitura para identificar minas na cidade, também participou da ocorrência.

“Acreditamos que pode ser a continuidade da mina Felipe dos Santos, que é aberta a visitação e bem extensa”, destaca Moutinho. A dona do imóvel foi retirada do local que está interditado. “Vamos aguardar o período chuvoso cessar e, em meados de março, voltaremos à casa com o Corpo de Bombeiros para uma nova análise seguindo as orientações da Ufop para fazer o fechamento desse buraco”, acrescentou.

A abertura da cratera que possibilitou a descoberta da mina ocorreu em decorrência dos dias chuvosos em Ouro Preto desde o início do ano, segundo o coordenador, mas também em resultado de intervenções humanas. “Houve escavação no terreno e carreamento de material”, analisa.

Em Ouro Preto já foram catalogadas 270 minas pela Defesa Civil em parceria com a Ufop. Atualmente, seguindo mapeamento da prefeitura, são 300 áreas de risco no município.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em Alta