Se conecte com a gente

Aconteceu

Lockdowns serão vistos como “o maior erro de saúde pública da história”, diz cientista

Em entrevista ao podcast do jornal inglês The Telegraph, Jay Bhattacharya, professor de medicina da Universidade de Stanford fez duras críticas ao lockdown.

Publicado

no

As políticas de enfrentamento e combate ao novo coronavírus que surgiu na China envolvem, entre outras coisas, o lockdown. Uma medida que segundo Jay Bhattacharya, um professor de medicina da Universidade de Stanford, será vista como o “maior erro de saúde pública da história”.

A declaração do cientista foi dada em uma entrevista ao podcast Planet Normal do jornal inglês The Telegraph. O cientista afirma que houve “enormes consequências colaterais” em manter as pessoas dentro de casa e isolá-las de seus entes queridos durante a pandemia de Covid-19.

O epidemiologista e professor de medicina na Universidade de Stanford, Jay Bhattacharya.

O epidemiologista acredita que muitos cientistas ficaram apegados à percepção da eficácia dos lockdowns e permaneceram apegados à ideia, apesar do “fracasso dessa estratégia”.

“Eu realmente acho que os futuros historiadores olharão para trás e dirão que este foi o maior erro de saúde pública, possivelmente de toda a história, em termos da extensão dos danos que causou”, disse o Prof. Bhattacharya.

Na entrevista, o cientista disse ainda acreditar que cada pessoa pobre na “face da Terra” enfrentou algum dano até mesmo catastrófico por conta do lockdown, uma das políticas de combate e enfrentamento à Covid-19. Para exemplificar, Bhattacharya falou de crianças que sofrem abusos em casa, e que podem não ter conseguido obter a ajuda de que precisavam durante o confinamento, uma vez que não havia adultos presentes que pudessem intervir.

De fato, ao menos no Brasil, embora não tenha relacionado ao lockdown, a imprensa admitiu que houve o aumento no número de casos de abusos sexuais contra crianças e adolescentes com a pandemia. De acordo com informações do portal G1, especialistas alertam que 80% dos casos ocorrem dentro de casa, e a maioria envolve pessoas da família.

As denúncias de abuso sexual, agressão física e maus-tratos contra crianças e adolescentes aumentaram 670% de janeiro a abril deste ano em relação à mesma época do ano passado, apenas no Conselho Tutelar do Rio Pequeno e Raposo Tavares, na Zona Oeste de São Paulo. Em comparação as queixas feitas nos quatro primeiros meses de 2019 com igual período deste ano, o crescimento foi de 215%.

Rua de cidade vazia em lockdown na Europa.

Outro exemplo citado por Bhattacharya foi o de que, segundo ele, muitos pacientes com doenças graves ou que podem ter uma doença não diagnosticada, têm relutado em ir ao hospital por medo de pegar o vírus.

“Todos esses tipos de danos, eu acho, desde o início estavam acontecendo. E ainda assim fechamos nossos olhos para eles porque estávamos com medo do vírus e apaixonados pela ideia de que o bloqueio poderia pará-lo.”, finalizou o Prof. Bhattacharya.

No Brasil, em entrevista ao canal My News, do YouTube, a deputada federal Janaína Paschoal disse que quase morreu por ter seguido a recomendação do ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta de não procurar um hospital nos primeiros sintomas da Covid-19. “A orientação de ficar em casa estava errada, mas não tem uma alma para refletir e assumir o erro dessa informação”, disse Janaína.

A entrevista completa dada pelo epidemiologista Jay Bhattacharya com suas críticas ao lockdown, está no podcast do The Telegraph, que pode ser ouvido em inglês no Spotify ou no Apple Podcasts.

Publicidade
Click para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Em Alta