Se conecte com a gente

Aconteceu

Homem faz protesto contra a Globo, que o processa, mas acaba sendo derrotada na justiça

Em uma postagem, homem ofereceu R$ 100 a quem jogasse água em repórteres da empresa.

Publicado

no

Foto: Reprodução/Google

A TV Globo acabou sofrendo uma derrota após uma decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) em um processo que a emissora movia contra um servidor público. O caso em questão dizia respeito a um protesto realizado nas redes sociais por um crítico da emissora. Na ação, a Globo pedia uma indenização de R$ 30 mil contra o homem.

A sentença assinada pelo juiz substituto Matheus Zuliani, analisou a postagem de Marcos Aurélio Neves do Rego Salles, um servidor da Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus-DF), em que ele dava R$ 100 para aquele que jogasse água em um repórter da Globo ao vivo. A publicação ainda continha um balde com água sendo lançada na logo da emissora.

Em uma postagem, homem oferece R$ 100 a quem jogar água em repórteres da empresa.

Na ação, a emissora da família Marinho alegou que a campanha recebeu inúmeros comentários de apoio e que, devido ao fato, muitos repórteres da empresa teriam ficado com medo de trabalhar nas ruas em razão da repercussão do post.

O juiz, entretanto, rejeitou as alegações da líder de audiência e afirmou que não houve a prática de conduta ofensiva por parte do servidor, mas apenas a sua manifestação do pensamento, que não teve poder de gerar qualquer dano à emissora. Zuliani destacou que não houve a efetivação da prática citada na postagem e nem qualquer pagamento realizado por Marcos a esse respeito.

“O que se evidencia é a manifestação do autor em rede social, provavelmente em um ato de crítica às atividades da requerida ou de seus repórteres, manifestação essa que não pode ser confundida com uma incitação ao ódio público”, apontou o magistrado na sentença.

A TV Globo ainda pode recorrer da decisão. Todavia, procurada, decidiu não comentar o caso.

Não seria a primeira vez no mundo em que um jornalista seria atingido com água em seu trabalho. Em 2011, o portal G1 noticiou uma cena, o qual classificou como inusitada, de uma repórter nos EUA que foi atingida por uma jarra de água.

Repórter Christine Insinga foi recebida com água.

A matéria do portal de notícias da Globo repercutiu o caso em que a repórter Christine Insinga foi recebida com água ao tentar entrevistar Aimee Rachlin, de 23 anos, que tinha sido presa em Huntington, no estado de Nova York (EUA), acusada de deixar seu filho de 13 meses sozinho dentro do carro enquanto fazia compras em uma loja.

A cena foi ao ar na emissora “News 12” e em seguida foi publicada no YouTube. Contudo, o vídeo já não está mais disponível na plataforma. Já pensou se a moda pega?

Publicidade
Publicidade

Em Alta